Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 2

documentário sobre o PASQUIM

abril 28th, 2008 by mariafro

TV Câmara: O Pasquim – A Subversão do Humor

(05/08/2004)

Nos anos 70, jornalistas resolveram falar o que pensavam sobre política e cultura, no jornal mais bem-humorado do Brasil. Fizeram muito sucesso na classe média e foram perseguidos pelos governos.

Documentário conta a era do Pasquim
Em 1969, ano particularmente duro no regime militar, surgiu no Rio de Janeiro “O Pasquim”, tablóide que, com sua irreverência, humor e anarquia, daria uma nova roupagem e linguagem ao jornalismo brasileiro, uma forma mais coloquial à publicidade e causaria um forte abalo nos níveis da hipocrisia nacional.

A TV Câmara conta no documentário “O Pasquim – a Subversão do Humor”, através dos principais personagens esta história, como ele invadiu o Brasil, enfrentando a censura e a cadeia com o riso aberto, como se fosse mais uma das farras da turma de Ipanema.

Em O Pasquim, Jaguar, Ziraldo, Sérgio Cabral, Luiz Carlos Maciel, Marta Alencar, Miguel Paiva, Claudius, Sérgio Augusto, Reinaldo, Hubert lembram como se escreveu esta página da nossa história e Angeli, Chico Caruso, Washington Olivetto e Zélio como ela foi determinante para as páginas seguintes.

Ninguém ficou rico com a publicação, embora ela tenha vendido nos seus melhores tempos, entre 1969 e 1973, até 250 mil exemplares. Um volume acima do razoável, se lembrarmos que os jornais de tiragem nacional rodam hoje, mais de 30 anos depois, com toda a informatização, a facilidade de distribuição e as fortes campanhas de assinantes, cerca de 300 mil exemplares.

A verdade é que o comportamento da chamada Patota do Pasquim era tão anárquico quanto o conteúdo do jornal. E o que ganharam gastaram entre prisão, brigas, festas e altas dosagens etílicas. Bem que os militares e a elite brasileira tentaram sufocá-lo diversas vezes e de formas variadas mas, quando conseguiram, ele já havia disseminado uma nova forma de comportamento nos meios de comunicação. Como diz Jaguar, a imprensa tirou o paletó e a gravata, ou, como diz Olivetto, passamos a escrever e nos comunicar com língua de gente, do povo.

Reprodução autorizada mediante citação da TV Câmara

Tags:   · · 8 Comments

Leave a Comment

Current ye@r *

8 responses so far ↓

  • Maria,
    O Pasquim, o Opinião, o Movimento e o Crítica foram semanais importantíssimos para manter a chama da liberdade acesa naqueles tempos.
    E por falar em memória, Maria vê o posto que coloquei no dia 25 pp, “EEUU financiam separatismo na Bolívia”. É um video com a Eva Golinger. Vale a pena ser visto, principalmente agora que o tempo está se encurtando.

  • Oi Germano, muito prazer, seja bem- vindo!
    Fiz uma visita fast no seu e voltarei, vi uma foto sua com Affonso Romano, maravilha gosto muito dele e há algum tempo coordenei uma entrevista com ele pela lista portuguesa Escritas. Ele é um poeta muito generoso e que aprecio bastante.
    Vi que sua praia é a literatura, meus cometimentos prosaicos e poéticos ficam em outro endereço: http://www.afroditefro.multiply.com
    e aqui http://www.historiaemprojetos.blogspot.com dedico mais tempo à História, ensino de história e educação,
    leve meu abraço
    Conceição

  • Maria, estive aqui e achei teu blogue muito bom. Tenha certeza que visitarei você mais vezes. O conteúdo é excelente.

    Abraços, querida!

    Germano
    http://www.clubedecarteado.blogspot.com

  • Oi Walmir, bem vindo!
    Sem problemas sobre a Lis.
    quando tiver um tempinho vou visitar a casa virtual dela.
    Esteja a vontade para linkar, vc deu uma olhadinha no do História em projetos que citei no post anterior, acho que vai gostar dele também.
    Eu estou sem tempo de me dedicar ao Maria Frô e ao meu blog literário o afroditefro.multiply.com e a este aqui também, nesta correria precisamos fazer opções e ando tomando mais conta do blog dirigido as professores.
    Quando estiver mais sossegada vou linkar vc e uma série de amigos blogueiros no Maria Frô
    grande agraço

  • Mana blogueira,
    mandei o comentário acima assinado por minha filha, a Lis, pois ela havia entrado do meu computador. Estas coisas que filhos gostam de fazer para que não deixem de causar preocupações.
    De todo modo ela também tem um blog bonito.
    Paz e bom humor, sempre, mana blogueira.
    walmir
    http://walmir.carvalho.zip.net

  • Maria,
    como prometido, vim cá apreciar sua escritura, mana blogueira.
    Gostei.
    Sinto nostalgia do velho Pasquim, bonita marca no tempo. Irrepetível.
    Vou lendo de pouco em pouco e comentando.
    Paz e bom humor, sempre
    Walmir
    http://walmir.carvalho.zip.net
    Ah, e vou linká-la ao meu blog. Depois passa por lá e vê se ficou a gosto.

  • Paulo então dá um pulo no meu outro blog http://www.historiaemprojetos.blogspot.com
    fiz vários posts a respeito, destacando especialmente a produção de Henfil, meu predileto da equipe do pasquim. Acho que vc gostará dos posts.
    Indico ainda assistir ao documentário Cartas da Mãe que faz parte da cinemateca do projeto Porta-Curtas. E aqui você encontra um seqüência pedagógica de minha autoria para o trabalho com este documentário.

  • Maria!
    Em 1972, com 14 anos, recebi, de um amigo, um número do Pasquim. Minha irmã, mais velha, que atuava no movimento estudantil começou a me trazer uns números, do Diretório, pois onde morávamos, não era vendido…
    Saudades!
    Beijos!