Rogério Tomáz Jr.: A horda de Sarney ataca novamente

Maria Frô
Por Maria Frô agosto 13, 2010 02:25 Atualizado

Horda de Sarney implode outro lançamento do livro de Palmério Dória no Maranhão

Por Rogério Tomáz Jr. do Conexão Brasília-Maranhão

José Sarney, presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, ex-presidente da República, ex-governador, ex-deputado, autor de inúmeros livros, dono de jornal e outrora praticante do ofício chamado jornalismo, é membro da Academia Brasileira de Letras (ABL).

Em seus discursos e artigos, Sarney costuma decantar o seu “apreço” à liberdade de expressão e à democracia. Mas imortal mesmo, ao que parece, é a truculência empregada por seu grupo político para manter o domínio sobre o Maranhão, que já dura 45 anos.

Há poucas horas — escrevo esse texto no início da madrugada de sexta-feira (13) — ocorreu mais um episódio que mostra ao Brasil e ao mundo que a violência é uma opção costumeira da famiglia Sarney.

O livro que Sarney não admite ser lançado no seu feudo

Em Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão, situada a cerca de 700Km da capital São Luís, ocorreria na noite desta quinta (12) o lançamento com noite de autógrafos do livro “Honoráveis bandidos – um retrato do Brasil na era Sarney”.

O início do evento transcorria normalmente, no auditório da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), com o depoimento de Manoel da Conceição, histórico líder camponês e fundador do PT, ele próprio vítima da violência do aparelho repressivo de Sarney, quando este era governador — em atentado feito na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pindaré-Mirim, em 1968, Manoel escapou com vida, mas perdeu uma perna devido aos ferimentos.

Enquanto Manoel falava, um grupo de baderneiros entrou no auditório gritando palavras de ordem contra o autor do livro e os demais integrantes da mesa do evento. Atirando ovos, tortas e outros objetos na direção do mesmo, os manifestantes entraram em conflito com os presentes e a confusão generalizada se instalou.

A Polícia Militar interviu com tiros de borracha e bombas de efeito moral, entretanto, para defender o grupo que iniciara a confusão.

O autor reencontra a civilidade da famiglia Sarney

Palmério Dória, jornalista experiente, colunista da revista Caros Amigos e ex-repórter de alguns dos principais veículos do país, saiu do local sem sofrer ferimentos, assim como Manoel da Conceição.

Fontes locais apontam que o grupo de baderneiros foi reunido pelo vereador Assis Filho (PP), de Pio XII, município vizinho.

Mais informações estão no blog do jornalista Raimundo Garrone, do Jornal Pequeno.

Fato semelhante já havia ocorrido em novembro, na capital, no lançamento do mesmo livro no Sindicato dos Bancários do Maranhão. Daquela vez, a baderna foi registrada em vídeo. Leia o restante do artigo aqui

Comentários

Comentários

Maria Frô
Por Maria Frô agosto 13, 2010 02:25 Atualizado
Escrever um comentário

14 Comentários

  1. Pedro Américo, de Brasília agosto 15, 07:07

    O Maranhão, meus amigos, está pior do que pau de galinheiro. Experimente você dizer que é do Maranhão: o interlocutor primeiramente lhe fita com ar de espanto, seguido de um semblante de compaixão e finaliza com um soslaio sarcástico, misto de resignação e fatalidade. Tudo fruto de quase meio século de crimes, desmandos, omissões e visão curta. Uma pena.

    Reply to this comment
Visualizar Comentários

Escrever um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados com*

ajude a manter o Maria Frô!

BANCO: CEF, nº 104
AGÊNCIA:  4138
OP: 013 (para depósitos feito entre a própria CEF)
CONTA : 24110-9

Fórum Semanal

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Seja amigo do Barão

Seja amigo do Barão

Posts

agosto 2010
D S T Q Q S S
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031