Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 2

Atropelamento de crianças palestinas vira comercial de carro em Israel?

abril 22nd, 2011 by mariafro

Este é o vídeo de um atropelamento real de dois meninos palestinos praticado por um colono israelense, próximo a Jerusalém, no dia 08/10/2010:

Abaixo, a denúncia de que tal fato teria sido usado num comercial de carros:

Anúncio de carro israelense se vangloria de atropelamento de crianças

Do JNoubiyeh, Tradução Diego Casaes

21/04/2011

Uma nova peça publicitária de um carro japonês em Israel causou uma considerável insatisfação por causa da promoção implícita do atropelamento de crianças palestinas. A propaganda, publicada pela concessionária da Subaru em Israel, mostra uma cena fotografada no ano passado, quando um colono israelense atropelou duas crianças palestinas com seu carro em Silwan, leste de al-Qudz (Jerusalém), antes de fugir, relatou Xinhua.

“Vejamos quem fica contra você,” diz a frase em hebraico no canto superior direito da imagem. O incidente de outubro teve como alvo dois meninos, um de 10 e outro de 12 anos, e resultou na fratura da perna da vítima mais jovem.

Após o ataque, as vítimas inicialmente resistiram ao serem forçadas a entrarem no carro, que aparentemente queria levá-las ao hospital. Os jovens palestinos têm medo de entrar em carros de estranhos porque já viram seus amigos frequentemente serem levados pelas tropas israelenses disfarçadas de civis.

A Autoridade Palestina (PA) atual, Mahmoud Abbas (do Partido Fatah) disse que a promoção deste ato de agressão “é um anúncio sujo e propaganda negativa que chegou ao ponto de pedir a morte de crianças palestinas por atropelamento.”

O agressor, David Be’eri, é diretor-geral da Elad, um intransigente conglomerado de desenvolvimento imobiliário.

A organização encoraja os israelenses a se mudarem para bairros densos em al-Quds (Jerusalém Oriental).

Al-Quds (Jerusalém Oriental) faz parte dos territórios palestinos, ocupados por Tel Aviv em 1967 e posteriormente anexado apesar da refusa internacional em reconhecer qualquer agressão.

Mais sobre o caso: Jerusalém Post (onde a empresa japonesa nega envolvimento com o caso e repudia a ação) e GulfNews

Este caso de denúncia de propaganda estúpida e criminosa, cuja instituição nega envolvimento, lembrou-me de outro caso também ocorrido em Israel, em 2009:

Várias versões de camisetas para uso de soldados do exército israelense provocaram polêmica, inclusive no estado sionista de Israel. Suas mensagens fomentam ódio aos palestinos e violações dos direitos humanos. Imagens de crianças mortas, mães chorando sobre os túmulos de seus filhos, grávidas sob a mira, mesquitas bombardeadas, além dos slogans que acompanham os desenhos das camisetas usadas por soldados das Forças de Defesa de Israel  são ofensivas e nos faz pensar que os sionistas perderam de vez todo e qualquer princípio.

O jornal israelense Haaretz foi o primeiro a noticiar em 2009 aqui e de acordo com o jornal, a iniciativa não foi do exército e sim de uma turma de formandos. O Exército israelense condenou o ato e chamou de ‘mau gosto’.

A camiseta para atiradores de infantaria carrega a inscrição “Quanto menor, mais difícil” e a imagem de uma criança palestina armada sob um alvo. A camiseta do Batalhão de Brigada Shaked Givati ​​mostra uma mulher palestina grávida com um alvo sobreposto na barriga dela, com o slogan, em Inglês, “1 tiro, 2 mortes”.


Nesta versão de uma das camisetas do exército israelense vemos   uma mulher grávida palestina como alvo, o nome de uma brigada do Exército israelense em hebraico e em Inglês a frase “1 tiro, 2 mortes”. Na camiseta vermelha uma mesquista sendo dinamitada e em hebraico: “Apenas Deus perdoa”.

Na camiseta da esquerda uma criança palestina com arma na mão sob uma mira e o texto em hebraico: “Quanto menor, mais difícil! (referindo-se a dificuldade de acertar o alvo)”  À direita em hebraico: “”Cada Mãe árabe deve saber que o destino de seu filho está em minhas mãos”

As fontes das imagens das camisetas produzidas pela turma de formando encontram-se aqui

__________
Publicidade
10milhoes_468x60.gif

Tags:   · · · · · · · · 16 Comments

Leave a Comment

Current ye@r *

16 responses so far ↓

  • [...] Do JNoubiyeh, Tradução Diego Casaes, no Maria Frô [...]

  • [...] Do JNoubiyeh, Tradução Diego Casaes, no Maria Frô [...]

  • O José Vieira é daqueles que confundem alhos com bugalhos propositalmente, a hipocrisia do discurso pró-Israel.

    Primeiro, que criticar as atitudes fascistas de Israel não é antissemitismo nenhum, até porque não estamos atacando nenhum judeu – e seria ridículo, basta considerar que nossas críticas ao facismo do Estado de Israel contra os palestinos é a mesma de muitíssimos judeus ortodoxos ao redor do mundo.

    Segundo, o José Vieira aposta no maquiavelismo escancarado e carente de toda a humanidade ao insinuar que os brasileiros aplaudir o genocídio cometido por Israel em Gaza porque os israelenses supostamente são mais amigos do Brasil que os palestinos – e supostamente foi bondade minha, em Israel se vive lavagem cerebral diária com tal de dizer que o mundo inteiro é antissemita, e eles acabar sendo inimigos de todos, duvido que tenham alguma simpatia real pelo Brasil ou qualquer outro país, mas não é culpa do povo israelense em si, senão que dos poderosos que manejam a insdústria do antissemitismo naquele país.

  • Sim, Conceição, a violação dos Direitos do povo Palestino pelo Estado Sionista chega ao ponto de não terem reconhecimento da o própria condição de ser humanos. Não têm direito a ser serem vivos nem a serem crianças, velhos, mulheres. É preciso deixar claro e sempre lembrar isso que você falou – uma ala da sociedade sionista – pois sabemos que muitos Judeus Israelense não aprovam nem participam das ações genocídas, Parece que atualmente, além da agressão militar, há uma guerra no espaço virtual, onde podem lançar este tipo de ataques que confundem a opinião pública e as partes envolvidas, passando impunes, Mas eu lembraria também, que assim como temos blogs sujos que fazem sátiras e montagens gráficas para transmitir uma crítica bem humorada, podem existir similares no Oriente Médio, que podem nem ser blogs, mas indivíduos querendo conturbar ainda mais o processo de negociações por paz. E pessoas que interpretam o que vêem, como sendo a verdade acabada. creio que este episódio ainda dará pano para manga.

  • Alice, sim, a Subaru nega como te disse no comentário do facebook, o que espanta é até mesmo a possibilidade de se fazer spam com um atropelamento por uma ala da sociedade sionista ou ainda uma turma de formandos do exército de Israel mandar produzir estas camisetas e exibi-las, ninguém punido, nunca e todo este desrespeito aos direitos humanos ser tratado como ações de ‘mau-gosto’.

  • Bem, acompanho há 2 dias a polêmica , via mural de amigos estrangeiros. Havia um vídeo chamado Normal day in Jerusalem ft. Subaru Impreza (Dia normal em Jerusalem, com o Subaru Impreza), postado há 6 meses atrás no Youtube por um usuário identificado como @SubaruIsrael e no link http://www.youtube.com/watch?v=ZwPGeT4-SRE , retirado de ontem para hoje. Trazia uma edição do vídeo reproduzido nesta página.
    Após o atropelamento dos garotos Palestinos,havia a inserção de imagens de 2 rapazes, rindo e perguntando-se: did you see that? Oh sh*t! (Você viu aquilo? Qe m*rda! e continuavam rindo. Aí, entrava uma voz falando da Subaru.
    As imagens internas eram de 2 corredores, provavelmente tiradas de um vídeo de rally, um deles afro-americano. Na descrição do vídeo, o autor deixava subtendido que era uma montagem. Houve muita polêmica e discussões nos comentários, Daí, alguém postou um link do vídeo mais completo do atropelamento, onde os comentários feitos por israelenses eram do mesmo nível que os desenhos das camisetas reproduzidas acima. Deixei de acompanhar e agora, fui procurar o vídeo que trazia o logotipo da Subaru, de onde foi retirada a foto acima e já foi removido pelo Youtube, por violar a política.

  • é que para o conservadorismo criticar o estado sionista é ser anti-semita, é assim em todo o lugar, faz parte da tentativa de esconder o belicismo sionista.

  • Não justifica a atitude do cara, mas as crianças estava atacando o carro com pedras. Se você estivesse passando numa rua e uma horda de crianças atacasse seu carro, você não iria tentar se defender não? Acho que ele deveria ter fugido e não atacado as crianças, mas vi ódio do lado palestino, que coloca crianças como militantes contra civis isralenses e vi um instinto de defesa (externizado de maneira errada, claro) por parte do atropelador. Não vi “ódio contra os palestinos” não..

    Sobre os anúncios, aí sim é lamentável. Fico sempre me perguntando até quando os homens vão parar de brigar por causas políticas e usarem tantas desculpas (e a religião é a principal desculpa) para essa ambição cega por poder.

    O mundo é grande e cabe todo mundo. Dá para dividirmos espaço sem tantas guerras. Tomara que isso pare um dia..

  • Lu, judeus não, os sionistas, há muito judeus que fazem oposição as práticas sionistas, alguns inclusive estão presos. Atente a isso

  • Caro José Vieira
    Anti semita onde? Petista, quem?

  • Atitudes antisemita de petistas é politicamente burra por que revela desconhecimento de seus vredadeiros amigos,
    Todo mundo sabe que Israel tem muito mais simpatia pelos Brasileiros do que os palestinios

  • Engraçado, né? Os judeus fazem uma bagunça, um escarcéu por causa so simbolo Nazista ou de símbolos que podem remeter ao símbolo Nazista “Aaaaai…! O simbolo Nazista é o simbolo da morte de 6 milhões de judeeeeeeus! Genociiiiidiiiiioooo!”
    E o genocidio que eles cometem contra um povo que habitava aquele maldito pedaço de chão seco todos os dias? E qual é a diferença entre um rabisco que alude o simbolo do Nazismo na calça de um moleque e essas camisetas?

    Por que é que judeu PODE ser sacana a centésima potência, pode matar, invadir e tomar terra dos outros MAS não pode ser morto, ter tomado os bens em prol da economia do país onde eles nasceram (no caso os judeus alemães)?

    Pau que dá em Chico, também dá em FRANCISCO! Se os alemães nazistas foram condenados por supostos “crimes de guerra”, essa porcaria de ONU (caso ela queira demonstrar que não é curralzinho estadunidense) tinha que abrir sanções economicas fortissimas contra Israel por todos os crimes contra o povo Palestino.

  • Oi Fernando, como eu expliquei no post e linkei a matéria do Jerusalém Post, a Subaru nega relação com isso. Porque eu linkei os das camisetas, porque do mesmo modo ocorreu como noticiado em jornal israelense, mas o exército nega relação com o que a turma dos formandos fizeram.
    Abraços.

  • @Mari fro, parece que a coisa não é bem confirmada como sendo um anúncio da Subaru. Particularmente, duvido um pouco disso. Encontrei essa notícia na web: http://news.yahoo.com/s/afp/20110420/wl_mideast_afp/israelpalestiniansconflictsettlerautosubaru_20110420181709

    De qqr modo, a parte das camisetas é mais chocante e pior, é mais verdadeira.

  • É tudo tão estúpido que a gente só acredita porque vê. Que absurdo!

  • Em uma possível versão brasileira quem iria amar o tal comercial seria o Luiz Carlos Prates. Depois viria uma legião de doentes atrás…