Não à terceirização

Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 2

DENÚNCIA: Ator mineiro é vítima de racismo durante Festival de Teatro Universitário de Blumenau

julho 14th, 2011 by mariafro

Não se pode comemorar :(  Ao linkar no Facebook o post do advogado que foi condenado por racismo a 2 anos de prisão, Ana Paula Siqueira aproveita para me repassar a denúncia abaixo.

Alexandre Sena, o ator vítima de racismo, espancado pela polícia, em Blumenau, Santa Catarina, é seu amigo e foi seu professor.  

Clique aqui para aderir a moção de repúdio por mais esta violência de racismo institucional.

Atualização: Recebi do @eversonF o link da reportagem da RBS.  Observem a fala do Comandante Claudio Roberto Koglin, mesmo o laudo médico confirmando várias escoriações no corpo e perfuração de tímpano, encaminhado para a Corregedoria, ele afirma que: “os policiais não serão afastados, a situação não é de tamanha gravidade’.

Atualização 15/07/2011: Dois leitores chamaram a atenção para o erro do texto do portal Radio Balaio, que dizia que a manifestação ocorreria na capital catarinense (Florianópolis), mas dava o percurso do Teatro Carlos Gomes até o IML em Blumenau. Suprimi do texto original a referência à capital pra evitar confuõses.


O Ator Alexandre Sena em foto de seu álbum no Facebook

Ator mineiro é vítima de racismo durante Festival de Teatro Universitário de Blumenau

Do: Portal Radio Balaio

14/10/2011

Ator, DJ e Designer, Alexandre de Sena, que faz parte do elenco de Congresso Internacional do Medo, do Grupo mineiro Espanca!, está em Blumenau participando do 24º Festival Internacional de Teatro Universitário – FITUB, promovido pela Universidade de Blumenau. O ator chegou a ser fortemente agredido por policiais militares que o chamaram de “negão”. Em seguida partiram para uma sessão de socos e pontapés.

Na noite desta terça-feira, depois de acompanhar a programação do festival, decidiu seguir com mais dois amigos para um posto de conveniência da cidade. Ao chegarem lá, perceberam que o local estava bastante movimentado e decidiram ficar. Cerca de 60 pessoas (entre artistas, professores e estudantes de teatro) compartilhavam desse espaço em perfeita harmonia, sem prejudicar a ordem local. A surpresa de todos veio com a chegada de uma viatura policial ao local. Os policiais ordenaram aos berros que todos deixassem aquele lugar imediatamente. Neste momento, o ator Alexandre de Sena aguardava em frente ao posto de gasolina dois amigos que teriam entrado na loja para comprar cervejas. Alexandre foi abordado por um dos policiais com os seguintes dizeres: “Vaza Negão! Vaza Negão!”. Alexandre apenas respondeu aos militares que estava aguardando dois amigos que teriam ido até a loja e argumentou que aquele não era o tratamento adequado a um cidadão de bem. Não satisfeitos com a resposta do ator, os policiais passaram a agredi-lo com uma sequência de tapas na cabeça, socos e pontapés. Um dos policiais ainda voltou ao carro para pegar uma arma. Alexandre chegou a ser agredido com várias coronhadas de escopeta. Logo em seguida, os policiais foram embora, como se nada tivesse acontecido.

Ao entrar em contato com o 190, Alexandre chegou a ser orientado a procurar a Corregedoria de Polícia no dia seguinte. Foi prontamente atendido pela Corregedoria, registrou a ocorrência e fará um exame de Corpo de Delito nesta quinta-feira pela manhã. A delegada que o recebeu, demonstrou extrema indignação com relação à postura dos policiais agressores. O ator sofreu várias escoriações pelo corpo e, de acordo com os médicos que o atenderam, um de seus tímpanos pode ter sido perfurado por causa das fortes pancadas durante a agressão.

Assustados com este episódio brutal e lamentável, representantes da classe artística presentes no 24º Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau – FITUB, decidiram se organizar e irão promover nesta quinta-feira pela manhã uma caminhada em prol da paz. Os manifestantes sairão às 09:00 do Teatro Carlos Gomes (Rua Quinze de Novembro, 1.181 – Centro, Blumenau) e seguirão até a sede do IML, onde Alexandre de Sena fará o exame de Corpo de Delito.

____________
Publicidade

Tags:   · · · · · · 10 Comments

Leave a Comment

10 responses so far ↓

  • Vão estudar e descobrir a definição de racismo primeiro antes de meter o pau no PM´s por isso. Se tinha 60 pessoas num posto de combustível e essa notícia tendenciosa afirmar “que não havia perturbação”. Para né. Esse maluco quer aparecer, só pode.

  • Muito triste uma notícia desta. E muito infeliz o comentário da Simone. Deve ter ficado assistindo de camarote, achando lindo a polícia de sua cidade agredir um cidadão. Ela viu a polícia batendo, mas não enxergou um cidadão apanhando. Ela não teve maturidade ou decência suficientes, para entender que alí não ocorria uma “simples” agressão policial, e sim uma barbaridade grotesca que é o racismo.
    Conheço o Alexandre desde criança, e ficou chocado com esta notícia, da qual somente hoje tomei conhecimento. O que me deixa chocado não é só o fato de conhecer e conviver com a família do Alexandre há muito tempo aqui em Rio Acima, MG, onde sou vizinho de seus tios e visitante frequente da casa de seus avós. O que choca é a truculência de quem deveria nos garantir a segurança. E vejam bem a ironia do destino. O Alexandre é filho de um policial, e pelo que o conheço, duvido que o Zé Maria, pai do Alexandre tenha algum dia participado de uma brutalidade desta. Ele não criou seus filhos para conviverem com esta violência. Seus filhos sempre primaram pela boa educação. Parabéns e muito obrigado à classe artística e a todos os demais que o apoiaram e apoiam neste momento de dor, não física, mas da alma. A ferida externa rapidamente se cicatriza, mas e a outra? Um abraço Alexandre e não se curve diante destas hostilidades. Mantenha seu orgulho e seu talento acima disso tudo. Vamos em frente, mostrar a esta gente que “nego é raça, nego não é cor, é um jeito diferente de fazer amor”…

  • É por estes comentários que as pessoas vem de fora e por saberem que Blumenau é uma cidade pacata “cagam” na cabeça dos blumenauenses. Moro em um apartamento em frente ao posto e presenciei o fato. Não liguei pra policia porque não gosto de me incomodar mas não vi nenhum momento os policiais agredirem o cidadão e olha que esse pessoal estava passando dos limites. Está acontecendo uma inversão dos valores: ter que acordar as 4h da manhã pra trabalhar está errado mas ficar até as 4h como um bando de desocupados gritando está certo. É por essas e outras que os policiais estão atendendo mal as ocorrências de perturbação, deixando que a perturbação continue, porque todo mundo sempre fica contra eles.

  • A manifestação a favor do ator Alexandre ocorrerá em Blumenau, ou na Capital de SC, Florianópolis?

  • Estes atos somente vem confirmar meus temores. Sou blumenauense e nasci aqui. Nossa cidade na última década tem passado por uma queda livre em direção ao abismo da incompreensão e violência. Tudo o que é diferente, é punido. O teatro é algo inovador e por isso aqui nesta merda de cidade é visto como algo ruim. Tudo o que é diferente aqui é visto como ruim. Peço em nome dos bons tempos e como cidadão, desculpas ao amigo Alexandre. Peço também um favor: condene os agressores, essa será uma forma de dizer o quanto esse tipo de pensamento está errado.
    Adilson

  • Oi Gi, mas onde é que está escrito que Blumenau é capital de Santa Catarina?
    abraços

  • Maria esta alemoada daqui acha que manda em tudo ta mais do que na Hora estes policias serem condenados por racismo e tamanha brutalidade, esta bem mal acostumados batem em inocentes e fica por isto mesmo

  • Desisto, desisto, desisto… Esse problema racial nunca vai (no mínimo) amenizar.. Desisto, tristemente, desisto!

  • Lamentável! Fico até com vergonha de dizer que isso ocorreu na cidade. Dois maus elementos que não honram a profissão, a cidade e muito menos o povo que nela vive. Não somos assim! Repudiamos a postura desses marginais (os “policiais”). Acompanhei o protesto, foi lindo!
    Apenas corrigindo um equívoco… Blumenau não é a capital de Santa Catarina, e sim Florianópolis.
    Abs