Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

Segunda-feira ao vivo às 19h Sérgio Amadeu debate Marco Civil da Internet no Contraponto

novembro 3rd, 2013 by mariafro
Respond

Amahã, segunda-feira, dia 04, o programa Contraponto com apresentação de Juvandia Moreira terá a presença de  Sergio Amadeu falando sobre o Marco Civil da Internet. Eu, Rodrigo Vianna, Altamiro Borges e Eduardo Guimarães o entrevistaremos.

Os leitores que tenham dúvidas sobre o Marco Civil da Internet e quiserem formular perguntas, por favor, deixem nos comentários do post que farei quantas forem possíveis para ajudar a esclarecer o tema.


Marco Civil da Internet no Contraponto

Por Cecília Negrão, no Sindicato dos Bancários

01/01/2013

Sérgio Amadeu participa de entrevista com blogueiros ao vivo nesta segunda-feira

São Paulo – O professor Sérgio Amadeu será entrevistado nesta segunda-feira 4 no programa Contraponto, exibido ao vivo via webtv pelo site e pela Rede Brasil Atual (www.redebrasilatual.com.br) e retransmitido em diversos blogs do país. A entrevista vai ao ar às 19h.

O tema será o Marco Civil da Internet, que deve ser votado no início da semana. Sérgio Amadeu é doutor em ciência política, professor da Universidade Federal do ABC e integra o Comitê Gestor da Internet no Brasil.

O programa terá como entrevistadores os jornalistas Altamiro Borges (Barão de Itararé), Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania), Conceição Oliveira (Maria Frô) e Rodrigo Vianna (Blog do Escrivinhador). O debate será mediado pela presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira.

Contraponto – O programa é uma parceria entre o Sindicato e o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé. Ao vivo, todas as primeiras segundas-feiras do mês.

Reveja - Após a exibição do programa, o conteúdo será disponibilizado na íntegra no site e no YouTube.

Leia também:

Todos contra Eduardo Cunha e sua gangue que querem impedir uma internet universal no Brasil

TVT explica o Marco Civil da Internet

Diga a seu deputado em alto e bom som: “Eu não abro mão da neutralidade da rede, eu não abro mão da retirada desse segundo parágrafo no artigo 15, não abrimos mão da nossa privacidade”

FNDC: nota pública sobre a votação do Marco Civil da Internet

Marco Civil Já e com Neutralidade de Rede!

Tags:   · 1 Comment

Todos contra Eduardo Cunha e sua gangue que querem impedir uma internet universal no Brasil

novembro 3rd, 2013 by mariafro
Respond

O Globo fez um editorial a favor da votação do Marco Civil da Internet (a Globo sempre foi contra) isso pode significar que os deputados a serviço das teles e da Globo tem maioria.

Mobilizem-se se vocês não querem que a Internet vire uma TV a cabo e para você ler um blog ou subir um vídeo no youtube tenha de pagar uma assinatura caríssima. Sem o princípio de neutralidade na rede, acabou-se qualquer possibilidade neste país de luta por democratização das comunicações. Se você não quer sua internet sequestrada para dar lucro à teles, pressione já seu deputado, diga claramente que você estará atendo à votação dele sobre o Marco Civil da Internet.

Segunda feira estarei com Rodrigo Vianna, Altamiro Borges e Eduardo Guimarães  entrevistando Sérgio Amadeu conselheiro do CGI no Contraponto, tire suas dúvidas, faça suas perguntas. 

Leia também:

TVT explica o Marco Civil da Internet

Diga a seu deputado em alto e bom som: “Eu não abro mão da neutralidade da rede, eu não abro mão da retirada desse segundo parágrafo no artigo 15, não abrimos mão da nossa privacidade”

FNDC: nota pública sobre a votação do Marco Civil da Internet

Marco Civil Já e com Neutralidade de Rede!

Eduardo Cunha explica porque é contra neutralidade na rede: “querem comunizar a Internet”

Por Renato Rovai  em seu blog

01/11/2013

Querem comunizar a Internet, diz Eduardo Cunha

O líder do PMDB na Câmara Federal, o deputado Eduardo Cunha, acaba de publicar uma série de tweets no seu perfil respondendo (sem responder de forma direta) ao post publicado neste blogue na tarde de ontem. Entre os tweets, segue a sequência publicada abaixo:

“Querem e comunizar a internet,obrigando a fornecerem de forma ilimitada a infra para qualquer tamanho de transito,com preci igual para todos.

Ou seja o consumidor paga o que não usa para os outros usarem.Isso e neutralidade?

Ninguém esta pensando no pobre consumidor.E como se a gente permitisse a urilizacao de luz a vontade e todos pagassem a mesma conta.

Quem usasse ar condicionado e chuveiro eletrico pagasse o mesmo de quem tem casa popular.

Ou seja,isso e debate ideológico,disfarçado de neutralidade.E igual a democracia dos meios de comunicação”
É uma clara tentativa de confundir o debate. Não existe preço maior por conta da neutralidade. Aliás, o Brasil tem um dos preços mais caros do mundo. O custo de um mega aqui é 65 vezes mais caro do que no Japão.

Mas o mais bizarro de tudo é a tentativa de politizar a questão buscando convencer o campo conservador. O deputado diz que querem “comunizar” a internet. Se ele quer dizer que queremos tratá-la como algo do comum, de todos os cidadãos e não apenas um ambiente de negócios, tem toda a razão. Aliás, a internet foi construída para ser isso, um ambiente comum e distribuído. Sem salas de controle. Mas gente como Eduardo Cunha querem aprisioná-la.

Mas ele quer fazer outra coisa, quer usar o típico discurso dos tempos do AI-5, quando em tudo as pessoas viam ação de comunistas (provavelmente, neste caso, eles querem comer criancinhas na Internet, né, deputado?) .

Eduardo Cunha assume o posto de líder dos que querem calar a internet.

E aproveita para atacar a todos que lutam pela democratização das comunicações.

Ele sabe bem de que lado está. E a serviço de quem. Mas nós também.

Tags:   · · · 5 Comments

Irmão de Ex de Kassab e atual de Alkmin emprestava sala para corruptos do #propinodutodemotucano da PMSP

novembro 3rd, 2013 by mariafro
Respond

Sala de irmão de ex-aliado de Kassab e secretário de Alckmin foi QG de grupo preso

Por MARIO CESAR CARVALHO, DE SÃO PAULO, Folha

03/11/2013 - 02h00

O escritório que os quatro auditores da prefeitura usavam como QG para cobrar propina de incorporadoras foi alugado pelo irmão do deputado federal licenciado Rodrigo Garcia (DEM-SP). O grupo chamava o local de “ninho”.

Rodrigo foi secretário de gestão da prefeitura entre 2008 e 2010, quando Gilberto Kassab era o prefeito, e atualmente ocupa a secretaria de Desenvolvimento Econômico do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Ele foi um dos aliados mais próximos de Kassab até 2011, quando romperam.

O irmão de Rodrigo, o empresário Marco Aurélio Garcia, confirmou ontem à Folha que aluga o escritório e emprestou-o no começo deste ano a Ronilson Bezerra Rodrigues, apontado como o líder do grupo pela Promotoria e Controladoria Geral do Município.

Os quatro auditores são acusados de cobrar propina para reduzir o valor do ISS (Imposto sobre Serviço) que os imóveis novos têm de recolher para obter a autorização para serem ocupados.

O QG era usado para fazer reuniões com empresários que tinham problemas tributários. Foi lá também que o grupo traçou estratégias para justificar o patrimônio de R$ 80 milhões que os quatro haviam acumulado assim que a corregedoria convocou-os para explicar a incompatibilidade entre salário e bens.

Marco Aurélio diz que conheceu Ronilson por meio de advogados, que recomendaram-no para fazer consultorias contábeis e tributárias para as empresas que tem no sul do país. Ele é dono de uma rede de supermercados em Santa Catarina desde 2010.

Ele conta que alugou o imóvel em 2010 para uma das empresas dele, a LBG Consultoria e Gestão, mas logo em seguida comprou a rede de supermercados.

O escritório fica num edifício chamado Ouro para o Bem de São Paulo, na região central de São Paulo, e pertence à Santa Casa.

O aluguel de uma sala de 25 metros quadrados custa cerca de R$ 500, com um condomínio de R$ 400.

O secretário Rodrigo Garcia nega ter qualquer relação com os quatro auditores da prefeitura. “Não sei onde é essa sala, nunca estive lá e não tenho relações comerciais com meu irmão”, afirma.

Ele diz que nunca se relacionou com os auditores, mas diz lembrar-se de Ronilson da época em que estava na prefeitura por causa do cargo que ele ocupava: o auditor foi subsecretário de Receita do município na gestão Kassab. O ex-prefeito não quis se pronunciar sobre o assunto.

Marco Aurélio diz não ter relação comercial com o irmão nem com políticos.

Leia também:
CGM criada na gestão Haddad já mostra frutos: prisão de funcionários públicos corruptos

Tags:   · · · · · 2 Comments

Bóra ver se Corregedoria do MP vai também se fingir de morta como Grandis

novembro 3rd, 2013 by mariafro
Respond

Na minha humilde opinião de cidadã, um funcionário do MP não dar continuidade a um processo de investigação de corrupção da dimensão que foi o propinodutotucano é tão escandaloso como o próprio Estado ser corrompido como foi o governo do estado de São Paulo sob administração tucana pela Alstom e Siemens com as licitações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Não é possível que Rodrigo de Grandis que recebeu oito ofícios cobrando providências relacionadas ao caso Alstom, sobre propinas pagas pela multinacional francesa a personagens ligados ao PSDB paulista e não forneceu o que foi solicitado e por causa de sua displicência o inquérito de uma corrupção na casa do bilhão seja arquivado e este procurador QUE DEVERIA PROTEGER OS INTERESSES DO POVO BRASILEIRO CONTRA OS CORRUPTOS sai impune.

Não adianta Grandis querer jogar a responsabilidade ao Ministério da Justiça:

Nota de esclarecimento

Portal do Ministério da Justiça

Brasília, 1º/11/2013

Em relação à nota da Procuradoria-Geral da República, o Ministério da Justiça esclarece que não houve qualquer falha na tramitação dos pedidos de cooperação oriundos da Suíça referentes ao denominado Caso Alstom.

Os mencionados pedidos de cooperação foram encaminhados, desde março de 2010, à então Assessoria de Cooperação Internacional da Procuradoria Geral da República (atual Secretaria de Cooperação Internacional). Ressalta-se que este procedimento ocorre com todo e qualquer pedido recebido de países estrangeiros pelo Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica (DRCI) e são direcionados à Procuradoria Geral da República para cumprimento.

Os únicos ofícios que foram encaminhados somente ao Procurador da República, Rodrigo de Grandis, foram seis reiterações dos pedidos iniciais, como forma de cobrar o andamento do pedido, procedimento adotado pelo Departamento. (grifos nossos)

Considerando este cenário, não procede a informação de que haveria tido falha no envio do pedido.

Salienta-se que o Ministério da Justiça segue o trâmite, conforme portaria conjunta nº 1/MJ/PGR/AGU.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Justiça

PT entrou com representação junto à Corregedoria do MP, só falta agora também é se fingir de morta. As imagens da representação tem como fonte o Conversa Afiada.

Todos os partidos deveriam fazer o mesmo se por acaso têm interesse de que a verdade e a Justiça prevaleçam.



Tags:   · · · · · · · · · 3 Comments