Para expressar a liberdade

Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

“Bolsa-ditadura é o que o coronel torturador Brilhante Ustra recebe todo mês do contribuinte brasileiro, desde 1970, disfarçado de soldo”

setembro 16th, 2013 by mariafro
Respond

TATIBITATE IDEOLÓGICO

Por Leandro Fortes em seu Facebook

Atenção queridos e velhos amigos de direita:

1) Sim, eu já li “A Revolução dos Bichos” e, infelizmente, continuo de esquerda, aliás, como era o autor do livro.

2) Sim, assim que eu puder, eu vou para Cuba. Eu adoro o visual e a história de Cuba, sem falar na música, na comida, no clima e no sistema de saúde.

3) Não, eu não estou falando sério quando apoio o Golpe Comunista de 2014. Quem acredita nisso não é de direita, é idiota. Ou os dois.

4) Sim, eu sou a favor dos votos infringentes, não porque apoio mensaleiros petralhas, mas porque acredito, ainda, na Justiça.

5) Não, eu não chamo o golpe militar de 1964 de revolução. Sou muito novo e, principalmente, bastante instruído para isso.

6) Não, as indenizações para familiares de mortos e desaparecidos políticos da ditadura, assim como para aqueles que por ela foram perseguidos, só é bolsa-ditadura para quem tem a Veja como única leitura de cabeceira. Bolsa-ditadura é o que o coronel torturador Brilhante Ustra recebe todo mês do contribuinte brasileiro, desde 1970, disfarçado de soldo.

7) Não, o MST não é uma organização terrorista que promove invasões e agride a propriedade privada. Terrorista é o latifúndio, instituição que mata, aleija, exclui e produz miséria e violência desde o Brasil-Colônia.

Sim, sou a favor das cotas raciais, porque há uma enorme distância entre ser pobre e ser preto (e pobre) no Brasil. Quem não entende isso, ou nasceu e vive até hoje dentro de um shopping, ou é burro mesmo.

9) Sim, eu tenho certeza que quem diz que não existe direita nem esquerda desde a queda do Muro de Berlim é, envergonhadamente, de direita.

Saudações socialistas

Tags:   · 1 Comment

Tiago Pimentel: Site da Alerj, hackeie você mesmo!

setembro 15th, 2013 by mariafro
Respond

Site da Alerj, hackeie você mesmo!

Por Tiago F. Pimentel, Facebook

15/09/2013

Tá rolando aqui a estória de que o Anonymous teria feito um deface no site da Alerj. Pois olhando a url, parece uma brecha mais simples de direcionamento de url.

Você pode fazer o seu proprio ‘hackeamento’. Apenas substitua a segunda parte do endereço pela url que quiser.

Vejam, fiz minha própria versão deste redirecionamento:

Já o Samuca Abad levou o Latuff na Alerj

Elenara Vitoria Cariboni Iabel foi de pirata para a Alerj

Eu levei o Maria Frô

Leia mais

No site da ALERJ conteúdo pornográfico e Informações confidenciais de militares, como CPF, RG, endereço, telefone e email, divulgadas por crakers

Tags:   · No Comments.

No site da ALERJ conteúdo pornográfico e Informações confidenciais de militares, como CPF, RG, endereço, telefone e email, divulgadas por crakers

setembro 15th, 2013 by mariafro
Respond

Atualização: Assim que publiquei o post no facebook o site saiu do ar, vejam os prints.

Conteúdo jocoso no site da Alerj.

Desde sexta o site da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro toca Look at my Horse, my Horse is Amazing, canção com frases como:

“Have a stroke of its mane
It turns into a plane
And then it turns back again
When you tug on its winky”

Parece que o site da Polícia Militar do RJ não teve a mesma sorte que o da ALERJ, conforme matéria veiculada na grande mídia impressa, uma delas reproduzida abaixo.

Expor dados pessoais de qualquer um me parece bem equivocado, expor dados pessoais de policiais é pôr em risco a vida desses profissionais que ficam ainda mais vulneráveis ao crime organizado.

Querem vazar dados de interesse da população publiquem dados sobre processos, de policiais corruptos sob investigação.

Hackers (sic) invadem site da PM e divulgam dados de policiais

Informações confidenciais dos militares, como CPF, RG e email, foram divulgadas pelos criminosos

PATRÍCIA TEIXEIRA, O Dia

15/09/2013

Rio – Hackers invadiram o banco de dados da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro neste sábado, e divulgaram informações pessoais de cerca de 50 mil profissionais que fazem parte do efetivo. Os dados, compilados em um arquivo de texto, foram disponibilizados para download em uma página no Facebook.

Nomes completos dos policiais, data de nascimento, RG, CPF, e-mail, Sistema de Gerenciamento Militar de Armas (SIGMA) e até a data em que o militar faltou ao serviço aparecem no arquivo.

Por motivo de segurança, a PM retirou o site da corporação do ar durante todo o sábado e diz que lamenta o ocorrido. A Polícia Civil também foi acionada para que cheguem aos responsáveis. A Secretaria de Segurança do Estado informou que não vai se pronunciar sobre o assunto.

Já a assessoria da Polícia Civil garantiu que não houve vazamento de dados de policiais civis e explicou que o setor de informática da Instituição realiza monitoramento e constantes ajustes no sistema para prevenir as invasões.

Tags:   · · · 1 Comment

Depois de parcela da esquerda criminalizar os black bloc, o próximo passo será tratar sem terra como bandidos?

setembro 15th, 2013 by mariafro
Respond

E viva o direito à resistência civil.

Leia também

Renam Brandão: Tem que ter vinagre no bolso do PT

As manifestações, os black bloc e o autoritarismo de Estado

Governador da Bahia defende secretário que atirou contra MST

Por: Tiago Décimo,- O Estado de S. Paulo

11/09/2013

SALVADOR – Apesar da pressão da oposição — e até de alguns aliados na Assembleia Legislativa — pela exoneração do subsecretário de Segurança Pública da Bahia, Ary Pereira de Oliveira, que nessa terça-feira, 10, atirou contra integrantes do MST que protestavam na frente da sede da secretaria, o governador baiano, Jaques Wagner (PT), defendeu o subordinado e acusou o MST de ter cometido “um exagero”.

Ary Pereira foi flagrado apontando arma para manifestantes do MST - Marco Aurélio Martins/Ag. A TARDE

Marco Aurélio Martins/Ag. A TARDE
Ary Pereira foi flagrado apontando arma para manifestantes do MST

Segundo Wagner, “as pessoas não podem confundir democracia com baderna” e “não é razoável que a sede da Segurança Pública ou de qualquer outra secretaria seja invadida por uma porção de gente com foice, facão, enxada”.

“Pode ter sido um ato limite do subsecretário, mas foi um ato para impedir que algo muito pior acontecesse, que seria a ocupação da Secretaria de Segurança por completo”, justificou o governador, em entrevista para uma rádio local. “(O tiro) foi para intimidar e não se (deixar) concluir o processo de ocupação e invasão no prédio da Secretaria de Segurança Pública. Daqui a pouco, um integrante do movimento ia estar sentado na cadeira do secretário. Só me faltava essa.”

A confusão ocorreu por volta das 8 horas dessa terça-feira, 10. Um grupo de cerca de mil integrantes do MST, que acampava na área externa da sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Bahia desde a segunda-feira, decidiu ir até o prédio da SSP, que fica nas proximidades, para protestar contra a demora na investigação sobre o assassinato de Fábio Santos — um dos líderes do movimento no Estado, morto a tiros em abril, no município de Iguaí, 497 quilômetros ao sul de Salvador.

Segundo as lideranças do MST, assim que a manifestação chegou à sede da secretaria, Pereira teria começado a atirar, dando três disparos. De acordo com a assessoria da SSP, apenas um tiro foi dado, depois de integrantes do movimento invadirem o saguão do prédio, armados com foices e facões. Ninguém ficou ferido, mas uma das portas do prédio ficou danificada.

Após a confusão, o grupo montou acampamento na frente da secretaria, que só foi desfeito no início da noite, após uma reunião entre as lideranças do MST com o secretário de Segurança, Maurício Barbosa. Os integrantes do movimento foram, então, para a frente da sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Reforma Agrária, Pesca e Aquicultura (Seagri), onde seguem acampados, pressionando por regularização fundiária para os assentados no Estado.

Leia também:

Leandro Fortes: comenta matéria: Comandante-geral da PM pede protesto contra mensalão

Jorge Viana: “Nossa juventude não pode ser tratada como bandida”

Nota do Movimento Passe Livre SP sobre reunião com a prefeitura: aumentos de tarifa não se tratam de uma questão técnica

Subsecretário de segurança da Bahia atira contra MST

Tags:   · · · 2 Comments