Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

A diferença abissal de quando elegemos um prefeito ou um pulha

abril 17th, 2013 by mariafro
Respond

Recebo a imagem abaixo em tempo real de Branca Mandetta que informa que o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad acaba de descer para falar com os manifestantes de diferentes movimentos por moradia :


Porta da Prefeitura agora – diversos movimentos por moradia, juntos, sendo recebidos pelo Secretário de Habitação.


O prefeito Haddad sobre o caminhão falando aos manifestantes

Me lembrei de quando fui cobrir (eu mesma uma vítima da enchente) a manifestação dos movimentos de moradia que protestavam e exigiam respostas de Kassab para dois meses de um bairro embaixo das águas: Para o poder público de SP o povo é lixo e deve ser tratado a porrada e gás de pimenta


09/02/2010


09/02/2010

Tags:   · · · 4 Comments

A campanha da Cut do 1º de maio que a Globo diz que é ataque contra a imprensa!

abril 16th, 2013 by mariafro
Respond

Vejam com seus próprios olhos a campanha singela da Cut que já está amedrontando a Venus Platinada, depois leiam a reporcagem sobre a temática da campanha da CUT no primeiro de maio, reproduzida logo abaixo e avaliem sobre o papel do jornalixo e como profissionais podem se submeter a fazer este serviço sujo:

Leia também:

Quero falar também: 1º de maio da CUT luta pelo direito à comunicação

Nota do Maria Frô: os destaques em vermelho e grifados são meus no texto da reporcagem comentados em rosa).

CUT usará 1º de maio para protestar a favor da ‘democratização’ dos meios de comunicação

Por: FERNANDA KRAKOVICS E MARIA LIMA em Venus Platinada morrendo de medo da CUT

16/04/13

BRASÍLIA - No embalo do PT, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) usará as comemorações do 1º de maio para fazer campanha pela “democratização” dos meios de comunicação e recolher assinaturas para um projeto de lei, de iniciativa popular, para implantar um novo marco regulatório da mídia. Esse assunto específico, com o mote “Quero Falar Também”, será o tema das comemorações do Dia do Trabalho no ABC paulista, berço do sindicalismo brasileiro. A mobilização ocorre no momento em que cresce no PT os ataques à imprensa e o embate com o governo para a regulação do setor. (A luta pela democratização das comunicações não ataca a imprensa, o que fazemos é repudiar o porcojornalixo, o que qualquer ser de boa vontade pode perceber são coisas bem diferentes.)
Além dos temas sindicais, o presidente nacional da CUT, Vagner de Moraes, afirmou que, ao lado do financiamento público de campanhas eleitorais, a “democratização” dos meios de comunicação é prioridade na pauta de reivindicações da central. Ele reconhece que o assunto não mobiliza os trabalhadores, mas diz que um dos papéis da CUT é o de conscientização:
- O papel de vanguarda da CUT é discutir assuntos que vão além do interesse imediato do trabalhador, como salário. Temos um papel de formação de opinião da classe trabalhadora.
No ABC, o tema é presente no movimento sindical porque o Sindicato dos Metalúrgicos da região possui uma concessão de televisão, a TV dos Trabalhadores (TVT), e outra de rádio, a Brasil Atual, recebidas nos governos Lula e Dilma Rousseff, respectivamente. (Embora não receba as gordas verbas que a Rede Globo, concessão pública presenteada pela  ditadura militar recebe do governo federal em publicidade.)
- Normalmente a mídia não retrata de forma correta greves ou algum interesse nosso em relação ao governo, então temos constituído mídias alternativas para nos comunicar diretamente não só com nossa base, mas também com o resto da sociedade – afirmou Valter Sanches, diretor de Comunicação do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Como o governo Dilma não pretende enviar ao Congresso um projeto de regulamentação dos meios de comunicação, o PT e a CUT entraram na mobilização, capitaneada pelo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), para apresentar um projeto de lei de inciativa popular nesse sentido. O texto será fechado em plenária no próximo dia 19. O ponto principal, segundo eles, é reverter o que consideram concentração dos meios de comunicação na mão de poucas organizações. (impressiona a cara de pau da jornalista ou seria falta de informação? “Segundo eles”, cara pálida? Propriedade cruzada concentrada nas mãos de 7 famílias  não é monopólio?????)

- Nosso projeto não é para cercear o direito à liberdade de expressão, pelo contrário. Queremos a regulamentação da Constituição de 88 – afirmou Rosane Bertotti, coordenadora-geral do FNDC e secretária de Comunicação da CUT.

O Diretório Nacional do PT divulgou, no dia 1º de março, uma resolução intitulada “Democratização da mídia é urgente e inadiável”, na qual conclama o governo a reconsiderar a decisão do Ministério das Comunicações e dar início à reforma do marco regulatório das comunicações.

O ministro Paulo Bernardo (Comunicações), que é petista, tem sido duramente criticado por seu partido e principalmente pela militância. Do ponto de vista do PT, ele está para o governo Dilma assim como o então presidente do Banco Central Henrique Meirelles estava para o governo Lula. Meirelles era demonizado por conta dos juros altos.

“O fato de nosso 1º de Maio que será comemorado em São Bernardo ter adotado como lema a democratização das comunicações merece ser saudado. E cabe aos partidos, em especial ao PT, pressionar para que o Poder Executivo, caso insista em não ajudar, que pelo menos não atrapalhe mais do que já vem fazendo em relação a esse tema”, escreveu o ex-presidente da CUT Artur Henrique, atualmente na diretoria da Fundação Perseu Abramo, do PT, em artigo veiculado na página do partido na internet.

Para barrar a investida petista, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) promete apresentar uma proposta de emenda constitucional (PEC) reafirmando o direito de livre informação. A PEC teria como base o artigo 5º da Constituição, que veda qualquer tipo de controle da liberdade de expressão. Segundo a assessoria de Renan, a ideia é fazer uma vacina à investida do PT. (Obrigada, governabilidade!)

Em outra frente, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) propôs à bancada do partido na Câmara fazer um seminário para discutir a democratização dos meios de comunicação, em especial o repasse de verbas publicitárias pelo governo federal. Ele quer ouvir os ministros Helena Chagas (Comunicação Social) e Paulo Bernardo (Comunicações).

- Quero saber qual é a política do governo para o repasse de verbas publicitárias, inclusive das estatais. Gostaria de saber os critérios adotados e ter uma radiografia dessa área – afirmou Pimenta.

 

Leia também:

Direção Nacional do PT aprova por unanimidade resolução sobre Democratização da Mídia

Proposta para debate na reunião do Diretório Nacional do PT em Fortaleza vamos nos mobilizar?

Kamel e Gilmar em concurso pra ver quem cala mais a blogosfera suja

Tags:   · · · · 1 Comment

Kamel e Gilmar em concurso pra ver quem cala mais a blogosfera suja

abril 16th, 2013 by mariafro
Respond

Gilmar Mendes quer calar a liberdade de expressão na rede?

Gilmar Mendes processa ator José de Abreu pela segunda vez

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), está processando o ator José de Abreu pela segunda vez. No dia 10 de outubro de 2012, o ator tuitou: “E o Gilmar Mendes que contratou o Dadá? 19 anos de cadeia pro contratado. E pro contratante? Domínio do fato?”, referindo-se ao espião envolvido em diversos casos de grampo, como o do bicheiro Carlinhos Cachoeira, quando foi preso. Mendes alega que Abreu quer desmoralizá-lo.

No ano passado, o ator já havia recebido uma notificação judicial do ministro por tê-lo chamado de corrupto no Twitter. Na época, Abreu fez uma retratação formal e o caso foi encerrado. Desta vez, o ator afirmou que não vai se retratar.

“Foi uma piada, não tenho porque me retratar. Imagina se eu quis dizer que ele (Gilmar Mendes) tem que responder por tudo o que o Dadá fez? Só na cabeça dele, é fora de qualquer lógica imaginar que ele, ministro, é responsável pelo Dadá. Não é possível que ele não tenha coisa mais séria para fazer do que implicar com o que eu tuito”, disse o ator.

Tags:   · · · 6 Comments

Quero falar também: 1º de maio da CUT luta pelo direito à comunicação

abril 16th, 2013 by mariafro
Respond

DIREITO À COMUNICAÇÃO É TEMA DO 1º DE MAIO NO ABC

Por: Redação  ABCDMaior (pauta@abcdmaior.com.br)

16/04/2013

Sindicatos vão marcar engajamento na luta pela democratização dos meios de comunicação

Eu quero falar também! Essa é a palavra de ordem para a comemoração do 1º de Maio no ABC que vai levar a luta pela democratização dos meios de comunicação a debate público. O ato principal acontece no paço de São Bernardo com shows populares e oficinas de interativas com o público sobre  o direito à comunicação.

Antes, dois debates abertos à população sobre o tema estão programados. O primeiro dia 25 de abrl, na Universidade Metodista, e no dia seguinte no Sindicato dos Químicos do ABC (Veja programação ao final). “As vozes da sociedade nunca são ouvidas. Esse é o motivo pela escolha do tema”, explicou Cladeonor Neves, coordenador do subsede da CUT São Paulo no ABC.

Para a Central, a democracia brasileira não se completará enquanto o País conviver com o seu atual sistema de comunicação, altamente concentrado e excludente. “Nossa pauta para o Dia do Trabalhador vê o direito à comunicação como um direito humano, ou seja, todos devem ter o direito de expressão seja em qual mídia for”, completou o dirigente.

Outro conceito presente na pauta do 1º de Maio, acrescenta ele, é a regulamentação dos capítulos da Constituição Federal que tratam da comunicação. Entre outros, a Constituição determina critérios para as concessões públicas nas telecomuicações (especialmente rádio e televisão), direito à diversidade e pluralidade de pensamento, estiímulo à produção nacional e valorizaçao da cultura local, a criação de um conselho nacional de comunicação etc.

“Da forma como é hoje, apenas seis famílias determinam o que vemos, ouvimos ou lemos, o que é um risco para a democracia e para o desenvolvimento social. Por isto, os sindicatos levantaram essa bandeira, até porque, entre os marginalizados pelos meios de comuncação, estão os trabalhadores e suas lutas”, cita Cladeonor.

- Ato de 1º de Maio no Paço de São Bernardo a partir das 10h, com oficinas interativas sobre o direito à comunicação, apresentação  de artistas populares e show com Zeca Pagodinho

- Debates preparatórios

Universidade Metodista (campus Rudge Ramos , Rua do Sacramento, 230, São Bernardo), quinta-feira dia 25, às 19h30, salão Nobre

Rodrigo Viana - repórter da Rede Record , historiador, editor do blog O Escrevinhador - como enfrentar o monopólio da mídia. A alternativa nas redes sociais.

João Brant -  radialista, membro da coordenação do Conselho do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação – queremos só o que está na lei (sobre a regulamentação dos artigos referentes à comunicação social na Constituição).

Júlio Veríssimo - professor de jornalismo da Metodista – o ensino de jornalismo e a crítica dos meios de comunicação.

Rafael Marques - presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - o direito à comunicação na agenda sindical.

Magali Nascimento - professora na pós graduação de Comunicação Social na Universidade Metodista – mediação.

No Sindicato dos Químicos dos ABC (Rua Lino Jardim, 401, Vila Bastos, Santo André) dia 26, sexta-feira, às 9h30

Igor Fuser – jornalista e professor da Universidade Federal do ABC – as condições históricas para a concentração dos meios de comunicação no Brasil.

Júlio Veríssimo - professor de jornalismo na Metodista –quais interesses estão na pauta dos jornais. Como a mídia faz a agenda política.

Luiz Carlos Azenha – jornalista da TV Record e do blog Viomundo - como enfrentar o monopólio da mídia. A alternativa nas redes sociais.

Rosane Bertotti – secretária de comunicação da CUT e coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação -  A luta social pela democratização do meios e a campanha: queremos só o que está na lei (sobre a regulamentação dos artigos referentes à comunicação social na Constituição).

Paulo Lage -  presidente sindicato dos Químicos do ABC - o direito à comunicação na agenda sindical.

Cladeonor Neves – coordenador da CUT ABC - mediador.

Tags:   2 Comments