Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

Ainda é cedo para comemorar, mas Haddad não tem decepcionado seus eleitores

janeiro 15th, 2013 by mariafro
Respond

O primeiro desafio de Haddad foi resolvido como esperávamos dele: com sabedoria e respeito pela cidadania, expliquei neste post aqui: GCM agride skatistas na Praça Roosevelt e bota pra correr senhoras ambulantes na Sé

Agora, vejam vocês no mail abaixo é o movimento da frente pela moradia que me informa que mesmo a Secretaria de Habitação estando com um engenheiro indicado pelo PP, ele a administra de acordo com os princípios de um governo popular que não trata pobre feito lixo.

Isso para mim comprova que é possível fazer alianças e mesmo assim realizar um governo que não ignore a cidadania dos mais pobres. Fica a dica para o PT carioca.

SEHAB PEDE PARA JUSTIÇA ADIAR REINTEGRAÇÃO DE FAMÍLIAS
Coordenação geral da FLM, por mail
14/01/13 às 21:47

Nesta segunda-feira, a Secretaria de Habitação do Município de São Paulo enviou ofício ao juiz da 42ª vara, solicitando suspensão da reintegração das 113 famílias, que estão ocupando o prédio da Av. Ipiranga, 879, esquina com Avenida São João.

Apesar do esforço da SEHAB ainda não foi possível obter uma resposta do juiz, pois o ofício foi levado após o final do expediente do Fórum.

A reintegração está marcada para ocorrer nas primeiras horas desta terça-feira,15/01,  mas assim que iniciar o expediente do Fórum as lideranças levarão o ofício da Secretaria da Habitação, num esforço para adiar a reintegração e ganhar mais tempo para a negociação sobre o atendimento às famílias sem-teto.

Osmar Borges,

Coordenação geral da FLM

Tel: (11) 9 8302 8197

Tags:   · · No Comments.

Mais uma série espetacular de Latuff: 513 anos de desrespeito aos povos indígenas

janeiro 15th, 2013 by mariafro
Respond

Leiam também:

Carpinteiros da Concrejato são demitidos por terem sido solidários aos indígenas da Aldeia Maracanã

Aldeia Maracanã: Abaixo-assinado O Brasil quer salvar o Museu do Índio do Brasil

Na Aldeia Maracanã um espetáculo grotesco de Cabral patrocinado por Eike Batista

Latuff: Aldeia Maracanã

Museu do Índio não tem valor histórico apenas pela sua construção centenária, mas pelo que abrigou

Indígena dá um pito em repórter da Globo News por veicular mentiras na cobertura da ocupação Aldeia Maracanã

Após denúncia nas redes sobre suas inverdades, Globo News faz retratação estilo Folha

Tags:   · · · · · · · · · · · · 3 Comments

Após denúncia nas redes sobre suas inverdades, Globo News faz retratação estilo Folha

janeiro 14th, 2013 by mariafro
Respond

Pela manhã publicamos um vídeo no qual um Indígena da Ocupação Aldeia Maracanã dá um pito em repórter da Globo News por veicular mentiras na cobertura sobre a ocupação

 A Globo News fez uma retratação estilo Folha de São Paulo que durante a pré-campanha eleitoral presidencial publicou uma ficha falsa da então candidata Dilma Rousseff e ao ser desmascarada escreveu ‘que não podia confirmar a veracidade do documento’ no melhor estilo “peidei mas não fui eu”.

Leiam também:

Carpinteiros da Concrejato são demitidos por terem sido solidários aos indígenas da Aldeia Maracanã

Aldeia Maracanã: Abaixo-assinado O Brasil quer salvar o Museu do Índio do Brasil

Na Aldeia Maracanã um espetáculo grotesco de Cabral patrocinado por Eike Batista

Latuff: Aldeia Maracanã

Museu do Índio não tem valor histórico apenas pela sua construção centenária, mas pelo que abrigou

Indígena dá um pito em repórter da Globo News por veicular mentiras na cobertura da ocupação Aldeia Maracanã

Tags:   · · · · · · · · · · · · 9 Comments

Por que a insistência em trocar cisternas de alvenaria por plástico?

janeiro 14th, 2013 by mariafro
Respond

O bom de descobrir o porquê da troca e saber que estávamos do lado certo ao fazer a defesa da ASA e do projeto 1 milhão de cisternas. O bom é ver todos os detratores da ASA terem de se calar e para manter a coerência cobrar explicações e providências concretas do governo federal.

A POLÍTICA E AS CISTERNAS

Especiais, NE10 

05/01/2013
O ministério de Fernando Bezerra Coelho aboliu as cisternas de placa e investe apenas nas de polietileno
O ministério de Fernando Bezerra Coelho aboliu as cisternas de placa e investe apenas nas de polietileno

A iniciativa de adotar as cisternas de polietileno no Brasil, com o argumento de possuir melhor qualidade do que as de placa e ainda garantir que o Governo Federal cumpra a meta de 750 mil equipamentos até 2014, foi do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, quando sua pasta foi incluída no programa Água para Todos, no segundo semestre de 2011. Antes desse período, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) era o único órgão estatal que financiava programas de organizações não-governamentais para a implantação de cisternas (todas de placa) do semiárido brasileiro.   O ministro FBC escolheu então a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), vinculada ao seu ministério e na época presidida pelo seu irmão, Clementino Coelho, para coordenar as licitações e os serviços de implantação das cisternas. A empresa mexicana Dalka foi a única concorrente e vencedora da primeira licitação para compra de 60 mil cisternas, assinada por Clementino em setembro de 2011. Elas foram vendidas por R$ 210 milhões.

A Codevasf de Petrolina coordena a instalação dos reservatórios de plástico em Pernambuco
A Codevasf de Petrolina coordena a instalação dos reservatórios de plástico em Pernambuco

Os contratos para a instalação das cisternas foram repassados para as superintendências regionais da Codevasf. Em Pernambuco, a unidade de Petrolina – base eleitoral e cidade natal do ministro – foi a responsável em coordenar o programa. Das quatro fábricas construídas no Brasil pela mexicana Dalka para fornecer as cisternas, a de Petrolina é a encarregada de produzir a maior quantidade (22.679) do lote de 60 mil equipamentos. Já a empresa vencedora para instalar as cisternas em Pernambuco foi a Engecol, de propriedade do empresário Carlos Augusto de Alencar – irmão da vereadora reeleita e ex-presidente da Câmara Municipal de Petrolina na gestão passada, Maria Elena de Alencar, do mesmo partido de FBC, o PSB. Em agosto de 2012, o jornal Folha de S. Paulo publicou matéria informando que o empresário Carlos Augusto de Alencar fez doações, no valor de R$ 84 mil, para as campanhas de Maria Elena e para o filho de FBC, Fernando Filho, nas eleições de 2004 a 2010. Em 2012, quando as eleições ocorreram após a publicação da matéria, nenhuma doação foi registrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

NE10 procurou o empresário da Engecol em Petrolina para conversar sobre os atrasos na instalação das cisternas e sua relação com o ministro. Sem se deixar fotografar, Carlos Augusto de Alencar culpou o atraso do serviço, principalmente, pela demora na entrega das listas dos beneficiados – elaborada pelos comitês formados pelos sindicatos e associações – e também pelas próprias famílias que não estão em casa para receber a cisterna ou não fazem o buraco para sua instalação. “Em alguns casos, a equipe precisa fazer mais de três viagens para entregar a cisterna em um único endereço e orientar o morador para fazer o buraco”, explicou. Sobre a licitação, o empresário negou interferência política e disse que o processo foi realizado através de pregão eletrônico, sendo impossível, inclusive, ter acesso a informações de outros concorrentes. Segundo ele, cinco empresas participaram do pregão.

Sem usar equipamentos de segurança, funcionários da Engecol transportam cisternas em Sertânia
Sem usar equipamentos de segurança, funcionários da Engecol transportam cisternas em Sertânia

Em nome do Ministério da Integração, o diretor do programa Água para Todos, Sérgio Duarte, defendeu a lisura das licitações, que tiveram o aval da Controladoria-Geral da União (CGU). “Defendemos as cisternas de placa porque são de melhor qualidade. Todo o processo ocorreu de forma transparente, assim como a nova licitação que iniciamos para a aquisição de mais 300 mil cisternas”, disse.

META - De acordo com Cadastro Único do Governo Federal, o mesmo usado para o Bolsa Família, 738,8 mil famílias em oito estados do Nordeste e em Minas Gerais precisam de uma cisterna para obtenção da água necessária ao consumo. Conforme a radiografia do cadastro, Pernambuco é o terceiro Estado com a maior demanda: 128,6 mil famílias ainda não contam com o equipamento. A maior necessidade está na Bahia (224,9 mil famílias), seguido do Ceará (185,9 mil). A meta da presidente Dilma Rousseff é que todas as famílias sejam beneficiadas até 2014. Hoje o País possui cerca de 500 mil cisternas construídas, sendo a maioria (mais de 90%) de placa.

Leia também:

“O campo está de luto” SOS Seca no Nordeste

Voltando às cisternas de alvenaria da ASA e a péssima decisão do governo federal

Governo Federal vai acabar também com o “Um milhão de Cisternas”? Que beleza!

Cisternas de alvenaria têm a preferência de sertaneja

ONGs defendem reservatórios de alvenaria

Tags:   · · · No Comments.