Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

Brasil Perifa debate hoje: Juventude Negra

julho 24th, 2014 by mariafro
Respond

Assista ao vivo

Tags:   · No Comments.

A mídia bandida mata o PT dia a dia e o PT não reage ao banditismo da mídia monopolizada

julho 22nd, 2014 by mariafro
Respond

O que acho mais inacreditável nas avaliações das pesquisas em São Paulo é como um prefeito com esta qualidade e é inegável a qualidade da administração de Haddad, pode ter uma comunicação tão ruim, tão porcaria, a ponto de invisibilizar absolutamente a revolução que este excelente prefeito está fazendo e, por outro lado, o pior governador que este estado já viu seguir incólume.

É algo que merece estudo a dificuldade das administrações petistas lidarem com os ataques diuturnos da mídia bandida e serem incapazes de comunicar a quem interessa, – ao povo – tudo que vem fazendo de diferente, inclusivo, transformador. A mídia bandida vai matar o PT. Qualquer paulistano honesto concorda com Carol Almeida, com seu texto desabafo postado no Facebook que reproduzo abaixo, qualquer petista acuado pela mídia bandida deve pôr a mão na cabeça, antes tirá-la do buraco onde a enterrou, e reagir. Chega de bundamolice!

É nítido que o paulistano brutalizado pelo cotidiano sem água, sem USP, sem segurança pública, com hospitais fechados, com escolas estaduais sucateadas, acordando às 4 da manhã e chegando em casa às 22 horas, transportado feito gado em trens caindo aos pedaços, sujos, calorentos, que lhe roubam 5 horas do seu dia, acha que não tem água, não tem USP, não tem segurança pública devido ao prefeito ou à Dilma.

Nem vou falar das realizações petistas dos governos Lula e Dilma, as transformações estão nos censos, nos indicadores sociais, nas mudanças de fluxo de migração, no novo patamar do Brasil no cenário internacional. É covardia comparar o que esses governos fizeram com o entreguismo, sucateamento, privatizações e humilhações do Brasil em mãos tucanas.

As bandeiras legítimas de junho mostraram isso muito bem, os brasileiro da elite oportunista, da classe média sem capital cultural e da classe trabalhadora não sabem o que faz um governador! Eles enxergam no máximo o prefeito e quem ocupa a presidência. Não sabem o papel do Judiciário, não sabem o papel do MP, não sabem o papel do Legislativo e desconhecem por completo as atribuições de um governador e botam tudo na conta do PT.

Essa brutalização dos cidadãos nos grandes centros urbanos associada ao trabalho sistemático de criminalização do PT pela mídia, faz com que o governador tucano Geraldo Alckmin, que consegue ser pior que Serra, que privatizou todo o estado, que nos mata de sede após sucatear e privatizar a Sabesp, que sucateou a melhor universidade pública do país, cuja corrupção em propinas engoliu 23 estações de metrô segue folgado nas pesquisas eleitorais, com intenções de votos que o elegeriam no primeiro turno.

Quanto ao prefeito petista Haddad embora certamente seja o melhor prefeito que esta cidade já viu, vai morrer afogado com seu incompetente secretário de comunicação, porque este infeliz de comunicação entende tanto quanto entende de física quântica.

Belas Artes

Carol de Almeida em seu Facebook, via Maurício Machado

Somente ESTA SEMANA, foi anunciada pela prefeitura de SP, leia-se, pelo prefeito Fernando Haddad:

- Uma política municipal de segurança alimentar que vai incentivar a agricultura familiar na Zona Sul da cidade (onde há uma zona rural em SP)

- A transformação da Chácara Jockey (169 mil m² no Butatã) em um grande parque municipal

- A reabertura do Belas Artes GRAÇAS à parceria da prefeitura com a sociedade civil e a Caixa

- Edital da prefeitura exclusivo pra distribuição de filmes

- Construção de uma usina com capacidade de triagem de material reciclado (e com ela São Paulo é agora uma cidade capaz de reciclar mais lixo do que produz)

- Canal aberto pra diálogo com os skatistas da cidade para que a prefeitura possa melhor os picos que já existem e criar novos pontos

- Instalação de contadores de passageiros nos ônibus, para aumentar ou diminuir a frota de acordo com horários e rotas

- Área dos edifícios São Vito e Mercúrio cedida pela prefeitura para criação de mais uma unidade do Sesc, o Sesc Mercadão

E eu poderia ainda citar o trabalho diário da prefeitura na instalação dos corredores de ônibus, do trabalho incrível feito pelo Braços Abertos e uma porrada de coisa mais.

São Paulo tem hoje o Melhor Prefeito Possível. Claro que ainda há muito a avançar e claro que ele ainda tem muito a aprender. Mas é inegável que temos um homem pensando o coletivo naquele prédio às margens do Vale do Anhangabaú.

Pois bem, este mesmo prefeito tem a pior rejeição de todos os tempos. Segundo pesquisa divulgada pelo Datafolha, os paulistanos preferem Kassab (sim, KASSAB!) a Haddad.

De modo que, estou intolerante. Se alguém aqui for contra esse cara na administração da cidade, por favor, se retire do meu Facebook e, caso cruze comigo na rua, não se dê ao trabalho de trocar palavras.

Grata

Tags:   · · · · 6 Comments

Criatura e criador: a cartilha neoliberal de FHC reeditada por Aécio Neves

julho 21st, 2014 by mariafro
Respond

Aécio não nega o berço, anda com saudades de quando o Brasil devia para o FMI, critica o fortalecimento do Brasil com o banco do Brics, diz com todas as letras que se colocará a serviço do capital internacional. Nada de políticas sociais, nada de aumento de salário mínimo, nada de trazer médicos cubanos pra atender os pobres que nunca haviam visto um médico na vida.

Aécio vive cuspindo as lições da cartilha neoliberal de FHC e promete, se eleito, que o Brasil vai voltar a ficar de joelhos para os Estados Unidos.

Professor Wagner Iglecias ao analisar as últimas declarações de Aécio mostra que não se pode acusar a criatura de FHC, Aécio Neves, de um candidato que esconde o jogo, ele é explícito em seu entreguismo. 

Aécio, um candidato franco

Por Wagner Iglecias, especial para o Maria Frô

21/07/2014

Pode-se criticar Aécio por muitas coisas, mas pelo menos ele não esconde o jogo. Há alguns meses ele declarou que se eleito vai tomar “medidas impopulares”, provavelmente convencido de que é preciso fazer um ajuste nas contas do governo e que este trará, inevitavelmente, perdas. No caso, ao povo. Por uma escolha política, obviamente. E quais seriam estas perdas? Desemprego? Redução do crédito subsidiado? Corrosão do salário mínimo e do poder de compra? Não se sabe. Mas a declaração foi feita.

Aécio tem em Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central durante o governo FHC e hoje em dia um muito bem-sucedido operador do mercado financeiro, aquele que talvez seja seu principal conselheiro em matéria de economia, e provavelmente um dos mais destacados formuladores de seu programa de governo na área. Em recente entrevista ao Estadão Armínio mostrou-se preocupado com a atual situação fiscal do governo, falou em autonomia do Banco Central, racionalização da atuação dos bancos públicos, privatização de infra-estrutura, relacionou ganhos reais do salário mínimo a “engessamento do mercado de trabalho” e criticou a atual política externa brasileira, na visão dele distante “das grandes locomotivas mundiais” e próxima de regimes autoritários e exóticos. Aécio não o desmentiu.

Por falar nisso, em política externa, Aécio se mostra francamente favorável a um alinhamento com USA e União Européia, como bom tucano que é. Em postagem feita em sua página oficial no Facebook, nesta 2ª feira, por ocasião de encontro com o presidente da Comissão Européia, o conservador José Durão Barroso, Aécio foi mais uma vez direto: “Reiterei minha convicção de que estamos atrasados com a negociação com a União Europeia, que poderia estar ampliando nossos mercados. Lamento o desinteresse do atual governo pelo tema, adiando mais uma vez, agora para o próximo ano, a conclusão dessas negociações. Enquanto isso, a União Europeia avança seus entendimentos com outras regiões do mundo, em especial com os Estados Unidos. Em um governo do PSDB, esse tema será tratado como prioridade.”

Embora franco,  Aécio equivoca-se. O Brasil precisa mesmo é aprofundar as relações com os BRICS, fortalecer as relações Sul-Sul e liderar o processo de integração da América do Sul, como tem feito. E pra isso nem é preciso abrir mão das relações com europeus e norte-americanos, que continuam sendo cultivadas normalmente. Num mundo multipolar como o deste século XXI, o alinhamento automático e ideológico a uma ou outra potência não faz mais qualquer sentido. Que o diga o México, que “casou-se” economicamente com os USA através do NAFTA em 1994 e vinte anos depois convive com uma profunda dependência do mercado norte-americano, o que acarreta ao país fragilidade econômica e gravíssima crise social, com mais de 51% de seus cidadãos vivendo abaixo da linha da pobreza, segundo dados oficiais.

Diferentemente de outros candidatos do passado, que dissimulavam suas propostas, Aécio tem sido franco com o eleitorado. Se vier a ganhar a eleição ninguém poderá argumentar que tratou-se de estelionato eleitoral. O tucano está dizendo com todas as letras qual o seu projeto de país. E nem é preciso tanto esforço assim para entender.

*Wagner Iglecias é doutor em Sociologia e professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP.

Tags:   · · · · · · · 3 Comments

Ricardo Melo: Choque de Indigestão

julho 21st, 2014 by mariafro
Respond


Fonte: Política no Face

Leia também: Primo de Aécio, que segundo a Folha tem a chave do aeroporto construído por Aécio quando governador, é barrado na ficha limpa, acusado de vender habeas corpus

Choque de indigestão
21/07/2014
Ricardo Melo, na Folha

“Os equívocos em relação à Petrobras foram muitos. E taí. Hoje a empresa frequenta mais as páginas policiais [...] do que as páginas de economia.” As palavras são do candidato tucano Aécio Neves em sabatina realizada na quarta (16), ao criticar o governo Dilma Rousseff.

Nada como um dia depois do outro. Graças ao repórter Lucas Ferraz, ficamos sabendo neste domingo (20) que, antes de deixar o cargo de governador, nosso impoluto Aécio presenteou a própria família com um aeroporto no interior de Minas Gerais, na cidade de Cláudio. Deu de presente é modo de dizer. A conta, R$ 14 milhões, foi espetada novamente no lombo do contribuinte. Tudo dinheiro público.

O Brasil conhece à exaustão obras e estradas construídas perto de propriedades de políticos, sempre sob o argumento de pretensos interesses rodoviários e sociais. Cinismo à parte, para não dar muito na vista, ao menos se permite a circulação de anônimos pelas rodovias.

No caso do aeroporto de Cláudio dispensaram-se maiores escrúpulos. “Choque de gestão” na veia. A pista é de uso praticamente privado da família Neves e seus apaniguados. Um diálogo esclarecedor: perguntado pelo repórter se alguém poderia usar o aeroporto, o chefe de gabinete da prefeitura local foi direto. “O aeroporto é do Estado, mas fica no terreno dele. É Múcio que tem a chave.” O dele e o Múcio citados referem-se a Múcio Tolentino, tio-avô de Aécio e ex-prefeito do município. Pela reportagem, descobre-se ainda que Aécio é figura frequente no lugar -a cidade abriga um de seus refúgios favoritos.

Pego no escândalo, o candidato embaraçou-se todo. Alega que a área do aeródromo particular foi desapropriada. O que, vamos e venhamos, já é discutível: no mínimo não pega bem um governador indenizar sua própria família para uma obra de utilidade social mais do que duvidosa.

Mas a coisa só piora: o processo de desapropriação está em litígio, ou seja, a propriedade permanece sob controle do clã Neves & Cia. Talvez uma ou outra aeronave de conhecidos, ou algum Perrella da vida, tenha acesso à pista. Fora isso, ignoram-se benefícios econômicos gerados pela empreitada ao povo mineiro. Questionado pela reportagem sobre quantas vezes esteve no estacionamento aéreo familiar e o motivo pelo qual uma obra custeada com dinheiro público tem uso privado, Aécio não respondeu. Ou melhor: o silêncio equivale a uma resposta. E a campanha mal começou.

CHEIRO DE QUEIMADO NO AR

Um avião civil é fulminado a 10 mil metros de altura, matando centenas de inocentes. Israel volta a atacar Gaza sem piedade. No Iraque, os anos de intervenção americana resultaram na criação de um califado. Na ausência de lideranças convincentes, a primavera árabe desembocou no inverno de outra ditadura sanguinária no Egito. A direita avança na Europa.

Com a economia mundial em pandarecos, guerras são sempre uma válvula de escape para lubrificar a engrenagem do capital, fazer a máquina girar. A extensão dos conflitos é imprevisível, principalmente quando a ONU mostra-se cada vez mais uma entidade decorativa. Mas que há um odor muito forte de queimado no ar, isto há.

ricardo melo

Ricardo Melo, 58, é jornalista. Na Folha, foi editor de ‘Opinião’, editor da ‘Primeira Página’, editor-adjunto de ‘Mundo’, secretário-assistente de Redação e produtor-executivo do ‘TV Folha’, entre outras funções. Também foi chefe de Redação do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), editor-chefe do ‘Diário de S. Paulo’, do ‘Jornal da Band’ e do ‘Jornal da Globo’. Na juventude, foi um dos principais dirigentes do movimento estudantil ‘Liberdade e Luta’ (‘Libelu’), de orientação trotskista.

Tags:   · · · · · 1 Comment