Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

Soninha Francine chama desabrigados do Pinheirinho de ‘criminosos’ e ‘aproveitadores’

janeiro 27th, 2012 by mariafro
Respond

Obedecendo à cartilha do PSDB, Soninha Francine, do PPS (partido que se confunde com PSDB), faz trabalho de assessoria de imprensa tucana no  twitter e, em inglês, faz escárnio do sofrimento do povo do Pinheirinho, buscando deslegitimar a sua luta, denominando-os de criminosos.

Compreensível para uma política que se associa àqueles que fazem opção preferencial CONTRA os pobres como os governos tucanos.

[blackbirdpie url="https://twitter.com/#!/SoninhaFrancine/status/162663972007444480"]
[blackbirdpie url="https://twitter.com/#!/RafaSpeed/statuses/162890760654565376"]

Tags:   · · · 15 Comments

Aos cínicos e mal informados: descontruindo as mentiras sobre o Pinheirinho

janeiro 27th, 2012 by mariafro
Respond

Texto de leitura obrigatória e deveria ser traduzido e encaminhado para a imprensa internacional, anistia internacional.

Dez Mentiras que Cercam o Pinheirinho

Hugo Albuquerque em seu blog

27/01/2012

Com a tragédia ainda em curso, e a quantidade colossal de sofismas e boatos propositalmente espalhados acerca do Pinheirinho, me dei ao trabalho de selecionar as dez piores mentiras – no sentido de superstição consciente e oportunamente utilizada pelo Poder – que estão a pairar por aí sobre o tema. Vamos lá:

1. “Não houve violações, a reintegração de posse foi pacífica”
Eis a pior e mais primária de todas. Vídeos aos montes, fotos aos milhares,  além de relatos emocionados de testemunhas oculares – como o nosso Tsavkko – e de moradores – dados, inclusive, para a imprensa internacional – contradizem isso. A polícia não veio para brincar, com sua tropa de choque, suas balas de borracha e sua sede por violência. Atacaram uma comunidade formada por famílias – seus velhos, suas crianças, pessoas com necessidades especiais – e quem ficou no meio do caminho apanhou. Sobre eventuais distorções da nossa imprensa, convido à leitura do que pensa sobre isso o Guardian, um dos principais jornais do mundo.

2. “A culpa é dos moradores, por serem invasores e/ou por não terem negociado”
É a tese do varão da república (do café com leite) Elio Gaspari, devidamente rebatida pelo nosso João Telésforo. Acrescentamos ainda que o Brasil possui 22 milhões de vítimas do chamado “deficit habitacional” – o eufemismo contábil que expressa a quantidade daqueles que foram largados para morrer ao relento -, o Brasil possui uma Constituição que fala em função social da propriedade privada e em dignidade da pessoa humana, o Brasil possui uma jurisprudência que não aceita a inércia da administração pública como desculpa. para não realização de políticas públicas. Outra, não estar nem aí para um contingente de milhares de pessoas – só no caso do Pinheirinho – é uma decisão política sua, portanto, assuma o risco dela, mas esperar que essa gente simplesmente tenha de sentar e esperar a morte chegar, é pedir de mais – ou mesmo aceitar um xeque qualquer e enfie o rabo entre as pernas do lugar onde ela estão estabelecidos, só para, no fim das contas, realizar o fetiche dos credores da massa falida de um mega-especulador.

3. “Foi um processo duro, mas cumpriu-se a letra da lei”

Nem isso. Na manhã de domingo, quando ocorreu a invasão, havia um conflito de competência entre a Justiça Estadual e a Justiça Federal, portanto não havia ordem judicial que autorizasse realmente qualquer reintegração de posse. Mesmo se houvesse, uma ordem judicial não equivale a uma carta branca da polícia para fazer nada, tampouco ignorar os direitos ou as garantias daqueles cidadãos asseguradas pelas Constituição.

4. “Os moradores estão sendo atendidos devidamente”
Os moradores do Pinheirinho, depois de perderem suas casas, estão amontoados em igrejas, ginásios ou quetais. Eles estão ao relento e identificados com uma pulseira azul – por que numa estrela azul logo de uma vez?

5. “Os policiais só cumpriram ordens”
Opa, tudo bem que militares obedecem ordens, mas isso não significa que, numa democracia, um oficial deva acatar irresponsavelmente uma ordem qualquer e executá-la da maneira que bem entende – com suscitou a secretária de justiça de São Paulo Eloisa Arruda -, do contrário, lhes seria autorizado atentar contra a ordem (“democrática”), o que seria uma hipótese absurda. É evidente que os maiores responsáveis por essa hecatombe são os senhoresGeraldo Alckmin e Eduardo Cury – respectivamente governador do estado e prefeito municipal de São José dos Campos -, mas os oficiais que lideraram a missão tem sua parcela de responsabilidade nessa história sim.

Leia as demais mentiras, desconstruídas pelo Hugo, aqui

Tags: 3 Comments

Às pessoas solidárias aos desabrigados do Pinheirinho que não residem em SJC

janeiro 27th, 2012 by mariafro
Respond

Campanha de apoio financeiro à comunidade Pinheirinho

Solidariedade à Ocupação Pinheirinho

26/01/2012

O MUST (Movimento Urbano Sem-Teto) do Pinheirinho está fazendo uma campanha de arrecadação de fundos, via CSP-Conlutas, em solidariedade às milhares de famílias desalojadas de suas casas pela ação violenta da PM e omissão dos governos.

Os dados para doação são os seguintes:

Banco do Brasil
Agência: 4223-4
Conta Corrente: 8908-7
Central Sindical e Popular Conlutas
CNPJ: 07.887.926/0001-90

Após o depósito, favor enviar e-mail para secretaria@cspconlutas.org.br com o comprovante e menção da organização doadora.

Não vamos abrir mão de exigir dos governos que garantam condições dignas para as famílias desalojadas do Pinheirinho. Entretanto, temos acompanhado a situação alarmante em que se encontram os moradores  abrigados em locais sem  infraestrutura.

A campanha para angariar alimentos, roupas, remédios e materiais de higiene também está acontecendo e está sendo centralizada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (telefone: 12 3946-5333).

________
Publicidade

Tags:   · · No Comments.

Em São Paulo o crime proporcionamente mata menos que as polícias: Polícia Militar mata 1 em cada 5 mortos

janeiro 27th, 2012 by mariafro
Respond

Assassinatos cometidos pelo crime vem diminuindo ano a ano, mas não redução da letalidade das ações policiais (civil e militar). Isso ocorre, porque, em síntese, as duas polícias paulistas são mal treinadas (com elas só funciona o atirar primeiro perguntar depois), são mal remuneradas e muitas vezes fazem igualmente o papel de Justiça, algoz e também do crime (nem sempre quando matam estão em serviço).

Um em cada 5 mortos em São Paulo é vítima de PM

ANDRÉ CARAMANTE, AFONSO BENITES e EVANDRO SPINELLI

DE SÃO PAULO, para a Folha

27/01/2012

Uma a cada cinco pessoas assassinadas na cidade de São Paulo, em 2011, foi morta por um policial militar, estivesse ele em serviço ou não.

Levantamento feito pela Folha, com base nos dados da Corregedoria da Polícia Militar, revela que, das 1.299 pessoas mortas na capital nesse período do ano passado, 290 foram atingidas por PMs -22,3% do total.

As 290 mortes cometidas por PMs são casos de “resistência seguida de morte” (229) e homicídios dolosos fora do trabalho (61).

Essa é a maior média de mortos por PMs desde 2005, proporcionalmente ao total de pessoas mortas na cidade. Maior até do que em 2006, quando o Estado enfrentou três ondas de ataques da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Naquele ano, as mortes atribuídas a PMs na capital (192) representavam 6,8% do total de mortes (2.814).

Para o comandante-geral da PM, coronel Álvaro Batista Camilo, a letalidade policial é uma de suas preocupações à frente da tropa.

“Mesmo assim é preciso considerar que 83% das pessoas que se envolvem com ocorrências policiais são presas ou conseguem fugir. Os mortos em confronto com PMs são apenas 17%”, disse.

“Nossa finalidade sempre é evitar a morte, seja ela do criminoso ou do policial. No último ano, conseguimos apreender 22 mil armas. Isso mostra o quanto as pessoas ainda andam armadas.”

Para evitar as mortes cometidas por PMs, a corporação mantém um programa de investigação semanal para analisar cada um dos casos em que policiais matam, seja no trabalho ou fora dele.

O secretário-executivo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, diz ser preciso melhorar a qualidade do PM. “Se você conseguir reduzir a letalidade policial, aí sim, São Paulo vai poder comemorar a queda no homicídio”.

O advogado Marcos Fuchs, diretor da ONG Conectas Direitos Humanos, vê como assustadora a proporção de mortes cometidas por PMs.

“A polícia precisa acabar com a prática de atirar primeiro e perguntar depois, como costuma ocorrer nos casos de violência seguida de morte.”

“Só com o treinamento dos policiais esses índices de letalidade vão reduzir”, disse Fuchs.

____________

Publicidade

Tags:   · · 2 Comments