Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

Em tempos de novas guerras relembrar Mike Prysner

março 30th, 2011 by mariafro
Respond

Em janeiro do ano passado um vídeo com depoimento de um veterano da guerra do iraque circulou o mundo. A fala de Mike Prysner é contundente, vale ser relembrada, mudam-se as guerras e os interesses dos senhores da guerra são sempre os mesmos.

Mike Prysner Arrested

Tags:   · · · · · · · · · · · · · · 3 Comments

Vinte parlamentares do PT, PCdoB, PSol e PDT protocolam representação contra Bolsonaro

março 30th, 2011 by mariafro
Respond

Mais cedo pelo twitter @deputadamanuela me informou uma série de deputados que honram seus mandados e defendem a cidadania e os direitos humanos, listei alguns deles no twitter:

[blackbirdpie url="http://twitter.com/maria_fro/status/52898302777237505"]

[blackbirdpie url="http://twitter.com/maria_fro/status/52899538654076928"]

[blackbirdpie url="http://twitter.com/maria_fro/status/52903095285460993"]

Leia também:

Resposta da democracia para Bolsonaro: 175 parlamentares relançam Frente pela Cidadania LGBT

Será que finalmente Bolsonaro será punido?


Deputados protocolam representação contra Bolsonaro na Câmara

Por Rogério Tomaz Jr, Liderança PT na Câmara

29/03/2011

repre bolsonaro_D1

Cerca de vinte parlamentares, de quatro partidos – PT, PCdoB, PSol e PDT – assinaram uma representação contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), acusado de manifestar declaração racista em entrevista ao programa CQC exibido na noite de segunda-feira (28). Coordenada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, a representação foi protocolada hoje na Presidência e na Corregedoria da Casa.

O documento também será enviado à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, órgão do Ministério Público Federal especializado nos temas de direitos humanos, e ao Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, vinculado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

O deputado Luiz Alberto (PT-BA), um dos signatários da ação, entende que Bolsonaro cometeu crime de racismo com suas declarações. “Ele não emitiu apenas uma opinião, algo que é garantido pela imunidade parlamentar, mas cometeu um crime previsto em lei”, afirmou o parlamentar baiano.

Outro signatário da representação, o deputado Edson Santos (PT-RJ), ex-ministro da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, considerou deploráveis as palavras de Bolsonaro. “A declaração é indigna de um representante da sociedade e a tentativa posterior de remediar a situação é um ato de covardia”, criticou Santos, fazendo referência ao discurso proferido pelo deputado do PP na tarde de terça, em que negou a acusação de racismo e falou em “mal entendido” na sua justificativa.

Jair Bolsonaro já foi alvo de outras representações parlamentares, sempre motivadas por suas declarações sobre temas de direitos humanos ou questões relacionadas à ditadura militar.

Pela bancada do PT, também assinaram a representação os deputados: Domingos Dutra (MA), Emiliano José (BA), Erika Kokay (DF), Fernando Ferro (PE), Luiz Couto (PB) e Marina Sant’ana (GO).

 

Tags:   · · · · · · · 79 Comments

Resposta da democracia para Bolsonaro: 175 parlamentares relançam Frente pela Cidadania LGBT

março 29th, 2011 by mariafro
Respond

Com 175 parlamentares, é relançada Frente pela Cidadania LGBT
Por: Silvia Gomide / Agência Senado
29/03/2011

 

O Brasil retrocedeu no reconhecimento dos direitos dos cidadãos LGBT e, com isso, foi deixado para trás por países que eram mais conservadores, como Argentina, Portugal e Espanha. O diagnóstico foi feito pela senadora Marta Suplicy (PT-SP), durante a cerimônia de relançamento da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT), nesta terça-feira (29). O grupo é formado por 175 parlamentares.

- Enquanto na Argentina hoje tem casamento gay, no Brasil temos espancamentos na avenida Paulista – lamentou a senadora.

Marta, que recebeu muitos pedidos de fotos dos militantes, criticou o Legislativo por “não ter coragem” de se posicionar em relações aos direitos dos cidadãos LGBT. Por isso, segundo ela, o Judiciário e o Executivo vêm decidindo no lugar do Legislativo.

- O Congresso Nacional se apequenou e isso não convive com a sociedade que queremos no Brasil. Há cidadãos e cidadãs que pagam seus impostos e não têm os mesmos direitos. O Legislativo precisa fazer valer os direitos de todos os cidadãos – afirmou Marta, coordenadora provisória da frente.

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que divide a coordenação provisória da frente com Marta, está recolhendo assinaturas de deputados para apresentar uma proposta de emenda constitucional (PEC) prevendo o direito ao casamento para casais do mesmo sexo.

O deputado se disse confiante de que o “espírito republicano” prevalecerá, para a aprovação na PEC no Congresso. Wyllys acredita que a medida é necessária mesmo que o Supremo Tribunal Federal (STF) decida estender aos casais do mesmo sexo o direito à união estável, julgamento que está previsto para ocorrer em breve.

- União estável é diferente de casamento e, além disso, os casais de pessoas do mesmo sexo serão obrigados a entrar na Justiça para conseguir a união estável, mesmo que o STF decida favoravelmente – explicou.

Jean acredita que o papel da Frente Parlamentar deverá ser tocar projetos que garantam direitos à comunidade LGBT e lutar publicamente contra a homofobia.

Piadas racistas

A presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputada Manuela D´Ávila (PCdoB-RS), pediu a aprovação do PLC 122/2006, que criminaliza diversos tipos de discriminação, inclusive a homofobia. A deputada destacou que a aprovação de leis muda a vida e a cultura de uma nação.

- Antes de o racismo ser crime, o humor na televisão brasileira era baseado em piadas contra negros. Hoje se apoia no humor contra homossexuais. Temos que mudar a história deste país aprovando legislação que acabe com a opressão de 10% da população – defendeu.

Já a deputada Erika Kokay (PT-DF) afirmou que a Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT vai buscar que a Constituição não seja “diariamente violentada” pelo sistemático não reconhecimento de 36 direitos de cidadãos homossexuais.

- Ao não reconhecer esses direitos, estamos desrespeitando a Constituição Federal, que garante a dignidade humana – disse.

Também estavam presentes a cerimônia as senadoras Vanessa Grazziottin (PCdoB-AM) e Marinor Brito (PSOL-PA) e os deputados federais Fátima Bezerra (PT-RN), Dr. Rosinha (PT-PR) e Artur Bruno (PT-CE), além de representantes dos ministérios da Cultura, da Saúde e da Secretaria de Direitos Humanos.

Tags:   · · · · 11 Comments

Será que finalmente Bolsonaro será punido?

março 29th, 2011 by mariafro
Respond

Primeiro os deputados Brizola Neto e Jean Willys entraram com representação contra Jair Bolsonaro por suas expressões racistas e homofóbicas e de ataque aos direitos humanos e à pessoa da presidenta da República, agora a OAB RJ também tomará atitude. Bolsonaro faz escola dentro de casa, sua postura e propostas grotescas encontram eco em seus filhos que também seguiram carreira política, veja, por exemplo, a proposta do vereador Carlos Bolsonaro como solução à ‘explosão da população de moradores de rua’: esterilizá-los!) Será que finalmente veremos esta figura sem decoro ter alguma punição?

E quanto à rede Bandeirantes, uma tevê aberta, concessão pública, que põe um sujeito que incita ódio contra negros, homossexuais, defende a tortura, desrespeita a pessoa e a figura da presidenta da República, faz troça de políticas públicas como as cotas nas universidades? Qual a responsabilidade das tevês abertas? Elas podem fazer o que desejarem, desrespeitando a Constituição?

QUEBRA DE DECORO

OAB pedirá cassação de Jair Bolsonaro por declarações homofóbicas

Da Redação, Ultima Instância

29/03/2011

O presidente da OAB-RJ (Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro) afirmou que pedirá a cassação do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) após as declarações, consideradas racistas e homofóbicas, do parlamentar ao programa CQC, da TV Bandeirantes.

Na entrevista, veiculada na última segunda-feira (28/3), Bolsonaro disse que seus filhos não correm o risco de namorar uma mulher negra ou até mesmo virarem gays, pois “foram muito bem educados”. A resposta foi a uma pergunta da cantora Preta Gil, que já anunciou que processará o deputado por danos morais. Hoje, Bolsonaro disse que se referia ao comportamento da cantora, e não ao fato de ela ser negra.

“As declarações do deputado Jair Bolsonaro são inaceitavelmente ofensivas, pois têm um cunho racista e homofóbico, incompatível com as melhores tradições parlamentares brasileiras”, disse Wadih Damous, presidente da OAB-RJ.

A Ordem deve enviar representação à Corregedoria da Câmara dos Deputados para abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra o deputado. “O Congresso não merece ter em suas fileiras parlamentares que manifestam ódio a negros e gays”, afirmou Damous.

Ditadura

Em entrevista concedida hoje ao Terra Magazine, o deputado reafirmou suas posições e voltou a defender a ditadura militar. Bolsonaro criticou opositores do regime que dizem ter sido torturados pela repressão, incluindo a presidenta da República, Dilma Rousseff.

“A Dilma falou que tinha vivido 23 dias sob tortura e não falou nada. Eu não tenho o curso que eles tiveram em Cuba, na China e na Coreia do Norte sobre guerrilha tortura e terrorismo, mas se tivesse disposição para isso, em dez minutos a Dilma contaria até como ela nasceu”, disse o deputado.

Ele também repetiu críticas ao movimento de defesa dos direitos de homossexuais. “O homem é produto do meio, imagina se pega essa lei, permitindo que casais homossexuais adotem crianças? Vão fazer reserva de mercado para jovens garotos homossexuais. O filho vai crescer vendo a mãe bigoduda ou careca, o pai andando de calcinha ou a mãe de cueca”, concluiu Bolsonaro.

Confira o vídeo com a participação do deputado no programa CQC, da Band:

Tags:   · · · · · · · · · · · · 25 Comments