Maria Frô - ativismo é por aqui

Maria Frô header image 4

Josias de Souza está #xatiado com a CUT

julho 28th, 2014 by mariafro
Respond

Hoje, em seu blog, Josias de Souza, mostra bem o que é o não jornalismo praticado pelos ‘colonistas’ do grupo Frias.

As informações da Plenária da CUT, que ele deturpa para de modo torto e enviesado desqualificar o encontro, são públicas, estão no próprio site da CUT e nos documentos públicos da Plenária.

Claro que a CUT  tem lado, e este lado é o dos trabalhadores. Josias, certamente não usaria os mesmos termos se o encontro fosse da FIESP, porque, jornalistas como Josias tratam patrão de ‘colega’.

Vamos lá, Josias, bem didático para você entender:


O tamanho da base cutista que tem projeto político e que  Josias teme.


Sindicatos cutistas e filiados

Os termos usados pelo ‘colonista’  como ‘engrenagem’,  rodar por Dilma, ” braço sindical do PT” entre outros não mostram apenas a ignorância e a má vontade de Josias em relação à CUT, mas de que lado da campanha eleitoral ele e o veículo para o qual trabalha estão.

Mas a pérola de Josias é esta aqui, segundo ele, a CUT está “Na contramão do desejo de mudança revelado pelas pesquisas eleitorais”.  Desejo de quem cara pálida? As pesquisas, incluindo as do DataFolha “ânimo dos bebês” apontam que se as eleições fossem hoje, a atual presidenta venceria em primeiro turno!

As pessoas querem mais avanços, mas  pelo visto elas sabem que certamente o candidato que Josias defende em seu QG tucano não trarão as mudanças estruturais que o país precisa.

Tags:   · · · · No Comments.

Santander, “me engana que eu gosto”

julho 27th, 2014 by mariafro
Respond

A culpa do golpismo do Santander é do estagiário….

PT não tem nada de aceitar desculpas esfarrapadas e governo Dilma e seu republicanismo com a Direita que fique com as barbas de molho. Mas o Banco Central tem de agir: alô, alô Banco Central, como andam as contas de banco que demite quase 5 mil trabalhadores em um ano e lucra quase de 1,5 bilhão em um trimestre?

Responsáveis por informe que criticou Dilma serão demitidos

Mariana Sallowicz – O Estado de S. Paulo

27/07/ 2014

Documento ‘não é do banco, mas de um analista’, declarou o presidente mundial do Santander, Emilio Botín

RIO – Em meio à polêmica gerada após o Santander ter enviado neste mês aos clientes de mais alta renda de sua carteira um extrato no qual apontava risco de deterioração da economia brasileira em caso de reeleição da presidente Dilma Rousseff, o presidente mundial do Santander, Emilio Botín, afirmou hoje que o informe “não é do banco, mas de um analista”. Segundo o presidente da instituição financeira, foram tomadas medidas internas sobre o episódio.

Botín acrescentou que o presidente da instituição no Brasil, Jesús Zabalza, já prestou esclarecimentos às autoridades e a presidente Dilma Rousseff. Após a declaração do presidente, o banco Santander informou que todas as pessoas responsáveis pela elaboração e aprovação do informe serão demitidas. Não foi informada a data de quando isso ocorrerá, uma vez que o caso ainda está em apuração.

Fabio Motta/Estadão
Emilio Botín, presidente mundial do Santander, durante coletiva no Rio de Janeiro

“Para o banco Santander, o Brasil é um País importantíssimo”, disse, acrescentando que a instituição financeira já investiu US$ 27 bilhões, montante referente ao valor desde quando está presente no Brasil, em 1982.

No dia 1º de julho, o banco enviou aos seus clientes do segmento Select, que ganham mais de R$ 10 mil por mês, o informe afirmando que se a presidente Dilma Roussef se estabilizar nas pesquisas de opinião para as eleições de outubro ou voltar a subir a Bolsa irá cair, os juros vão subir e o câmbio se desvalorizará.

O presidente do Santander participou de uma coletiva de imprensa no Rio, ao lado do presidente da Telefónica, Cesar Alierta, para o lançamento de uma plataforma de e-learning.

Amanhã, terá início o III Encontro Internacional de Reitores Universia 2014, promovido pelo Santander, no Riocentro, no Rio. A presidência foi convidada.  O vice-presidente Michel Temer participaria do evento, mas, segundo o Santander, informou que não irá mais do evento.

Espontaneamente, o presidente da Telefónica também se posicionou sobre o caso. Segundo ele, A Telefónica e o Santander são duas empresas que investiram no Brasil “quando ninguém queria apostar e renovaram os seus investimentos”. “Estamos convencidos que o futuro do Brasil é espetacular”

Plataforma. Botín anunciou hoje o lançamento mundial da MiríadaX, plataforma de e-learning operada em conjunto entre o banco e a Telefónica que oferece ensino superior gratuito aberto a um público potencial de mais de 600 milhões de pessoas de língua espanhola e portuguesa.

Os inscritos na MiríadaX têm à disposição cursos online gratuitos. Atualmente, são somente cursos em espanhol, mas também serão disponibilizados em português. Não há restrições para participar da plataforma, sem horários fixos ou custos. Entre os cursos disponíveis estão de microeconomia, matemática básica, Excel avançado e estratégia avançada para empreendedores. O site da iniciativa é https://www.miriadax.net.

Leia também

Santander, o banco que faz campanha contra Dilma, em um ano despediu 4833 trabalhadores e lucrou 1,428 bilhão no 1º trimestre de 2014

Porque Santander quer eleger Aécio: Dilma Rousseff: “Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor”

Olho vivo classe C e D: o Santander está de olho no seu dinheiro

Vagner Freitas: Bancos dão as costas para os trabalhadores e para o Brasil

Altamiro Borges: Santander tira a máscara de vez

Criatura e criador: a cartilha neoliberal de FHC reeditada por Aécio Neves

Tags:   · · · · · · No Comments.

Santander, o banco que faz campanha contra Dilma, em um ano despediu 4833 trabalhadores e lucrou 1,428 bilhão no 1º trimestre de 2014

julho 27th, 2014 by mariafro
Respond

Contraf-CUT condena terrorismo do Santander contra economia e o Brasil

Via CUT

25/07/2014


A Contraf-CUT condenou com veemência o terrorismo do Santander, que enviou neste mês de julho um texto aos seus clientes de alta renda onde afirma que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff irá piorar a economia do Brasil. A notícia foi divulgada nesta sexta-feira (25) pelo blog de Fernando Rodrigues no portal UOL.

A análise do banco espanhol foi impressa na última página do extrato dos clientes na categoria “Select”, com renda mensal superior a R$ 10 mil. O Santander diz que se Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair. Nunca antes uma avaliação como essa foi feita de maneira institucional por um grande banco no País.

“Trata-se de terrorismo puro que o Santander faz não somente com os seus clientes de alta renda, mas com a economia e o povo brasileiro. Um banco estrangeiro, que veio ao Brasil e adquiriu bancos, sobretudo, na era das privatizações do governo FHC, revela um profundo desrespeito com o Brasil e os brasileiros, piorando ainda mais a sua imagem junto aos trabalhadores e à população”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.


Via Falando a Verdade


“Não permitiremos que atos terroristas de bancos, como o Santander, coloquem em risco a democracia no Brasil, que foi duramente conquistada após muita luta e sangue nos últimos 50 anos”, salienta o dirigente sindical.

Para ele, “mais do que pedir desculpas aos seus clientes, o Santander tem que passar a respeitar os clientes, os bancários e o Brasil, bem como mudar a sua gestão equivocada no País, onde o banco obteve 20% do lucro mundial no primeiro trimestre deste ano, mas os trabalhadores e os clientes não são ouvidos nem valorizados”.

Corte de empregos

Somente no Brasil o banco lucrou R$ 1,428 bilhão no primeiro trimestre de 2014, mas a contrapartida para os trabalhadores têm sido demissões, rotatividade e corte de empregos. O banco espanhol cortou 4.833 postos de trabalho entre março de 2013 e março deste ano no País, sendo 970 nos primeiros três meses do ano, o que é totalmente injustificável.

“O Santander também fechou dezenas de agências nos últimos meses em todo o país e liderou em oito dos 12 meses de 2013 e em cinco dos seis meses de 2014 o ranking de reclamações de clientes no Banco Central”, lembra o dirigente da Contraf-CUT. “E agora, como se não bastasse, o banco vem com esse terrorismo inaceitável, mostrando que está de costas para os esforços da sociedade brasileira para aumentar o crescimento econômico e social com distribuição de renda”.

Denúncia para a OCDE

Cordeiro anuncia que esse terrorismo do Santander viola as diretrizes para empresas multinacionais, estabelecidas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), da qual a Espanha é signatária. “Vamos fazer uma denúncia para a OCDE, pois é inaceitável que o banco espanhol trate assim a economia e o povo brasileiro”, enfatiza o dirigente sindical. 

O Santander está sendo muito criticado por delegados e delegadas da 16ª Conferência Nacional dos Bancários, que foi aberta nesta sexta-feira, em Atibaia (SP). “A categoria está indignada e a resposta será o aumento da mobilização para que o banco espanhol respeite o Brasil e os brasileiros”, conclui Cordeiro. 

Leia também

Porque Santander quer eleger Aécio: Dilma Rousseff: “Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor”

Olho vivo classe C e D: o Santander está de olho no seu dinheiro

Vagner Freitas: Bancos dão as costas para os trabalhadores e para o Brasil

Altamiro Borges: Santander tira a máscara de vez

Criatura e criador: a cartilha neoliberal de FHC reeditada por Aécio Neves

Tags:   · 1 Comment

Porque Santander quer eleger Aécio: Dilma Rousseff: “Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor”

julho 27th, 2014 by mariafro
Respond

Os banqueiros, rentistas e todos aqueles que como vampiros sugam a economia produtiva com sua política de juros votam em Aécio, o candidato da lógica perversa, o candidato que via Armínio Fraga afirma que o salário mínimo está muito alto, que quer nos ver de novo como na época de FHC com taxas altas de desemprego e devendo ao FMI, submisso à política dos Estados Unidos.
Além do Santander outras empresas continuam cometendo crimes eleitorais. Espero que não apenas o comitê de campanha de Dilma tome providências como o Banco Central

Por Arnaldo Ferreira Marques em seu Facebook

“Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor, enquanto a taxa básica Selic cai, a economia se mantém estável e a maioria esmagadora dos brasileiros honra, com presteza e honestidade, os seus compromisso” (Dilma Rousseff em discurso oficial no 1/05/2012)

Estranhou a carta do Santander contra Dilma?


Carta do Santander enviada a seus correntistas milionários

É porque você não lembra dessa fala oficial da presidenta que comemorava o 1º de maio de 2012.

Entenda então.

Por que com uma inflação de menos de 7% ao ano temos de pagar juros de cheque especial de 8 ou 9% AO MÊS?

No exterior, juros bancários são mínimos. Mínimos.

Esse discurso marcou o fim das boas relações entre o noticiário econômico e o governo federal. Depois disso, só porrada, manipulação.

Antes disso, o jogo sujo limitava-se basicamente ao noticiário político.

“O trabalhador tem o direito de usufruir tudo que o seu país produz”, diz Dilma Rousseff

A presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (30), em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, que todo trabalhador tem o direito de usufruir de tudo que o seu país produz. Na véspera do feriado de 1º de maio, Dia do Trabalhador, a presidenta Dilma disse que não quer ser apenas a presidenta que cuida do desenvolvimento do país, mas ser a que cuida, especialmente, do desenvolvimento das pessoas.

“Não quero ser a presidenta que cuida apenas do desenvolvimento do país, mas aquela que cuida, em especial, do desenvolvimento das pessoas. Cuidar do desenvolvimento das pessoas significa lutar por uma saúde melhor para os brasileiros pobres e de classe média; significa prover educação de qualidade em todos os níveis. (…) Cuidar do desenvolvimento das pessoas significa lutar incessantemente para acabar a pobreza extrema em todas as regiões do país; significa enxergar o trabalhador como cidadão e, por isso, pleno de direitos civis; enxergá-lo também como consumidor, com condição de comprar todos os bens e serviços que sua família precise para viver de maneira cômoda e feliz”.

Dilma Rousseff iniciou o pronunciamento oficial enfatizando que 1º de Maio “é um bom dia para refletirmos sobre uma verdade nem sempre lembrada”, disse ela. E completou: “tudo que um país produz é fruto do esforço do trabalhador e, por isso, todo trabalhador tem o direito de usufruir de tudo que o seu país produz”.

“Para usufruir cada vez mais da riqueza do Brasil, o trabalhador brasileiro precisa de melhores empregos, de salário digno, educação de qualidade e formação profissional adequada às necessidades do mundo moderno. Para garantir esses direitos do trabalhador, o país necessita consolidar seu crescimento, equilibrar sua economia, diminuir as desigualdades, proteger sua indústria e sua agricultura, desenvolver novas tecnologias e ser, cada vez mais, competitivo e soberano no mundo”.

Durante o pronunciamento, a presidenta lembrou que o esforço do governo em reduzir os juros faz parte da luta de proporcionar às famílias brasileiras condições dignas de consumo.

“A economia brasileira só será plenamente competitiva quando nossas taxas de juros, seja para o produtor, seja para o consumidor, se igualarem às taxas praticadas no mercado internacional. Quando atingirmos este patamar, nossos produtores vão poder produzir e vender melhor, e nossos consumidores vão poder comprar mais e pagar com mais tranquilidade”.

A presidenta Dilma enfatizou que é inadmissível que o Brasil, “que tem um dos sistemas financeiros mais sólidos e lucrativos, continue com um dos juros mais altos do mundo”. Segundo destacou, “o Brasil de hoje não justifica isso. Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor, enquanto a taxa básica Selic cai, a economia se mantém estável e a maioria esmagadora dos brasileiros honra, com presteza e honestidade, os seus compromissos”.

Durante o pronunciamento, a presidenta Dilma disse também que é preciso encontrar mecanismos que permitam diminuição dos impostos para produtores e para consumidores, além de uma taxa de câmbio que possibilite a defenda da indústria e da agricultura brasileiras.

“Para que o nosso país tenha uma economia mais forte é preciso, ainda, que encontremos mecanismos que permitam uma diminuição equilibrada dos impostos para produtores e para consumidores. E também que tenhamos uma taxa de câmbio que defenda nossa indústria e nossa agricultura, em suma, os nossos empregos, e que o governo utilize os recursos públicos, sempre de forma eficiente e honesta, para que a população sinta, da forma mais efetiva possível, o bom retorno do imposto que paga”.

Dilma Rousseff enfatizou ainda que seu governo não deixará de cobrar que todos façam sua parte para o crescimento do Brasil e de todos os brasileiros. “Garanto às trabalhadoras e aos trabalhadores brasileiros que vamos continuar buscando meios de baixar impostos, de combater os malfeitos e os malfeitores e, cada vez mais, estimular as coisas bem-feitas e as pessoas honestas de nosso país”, disse.

Fonte: Blog do Planalto

Leia também

Olho vivo classe C e D: o Santander está de olho no seu dinheiro

Vagner Freitas: Bancos dão as costas para os trabalhadores e para o Brasil

Altamiro Borges: Santander tira a máscara de vez

Criatura e criador: a cartilha neoliberal de FHC reeditada por Aécio Neves

Tags:   · · · · · 2 Comments